This Page in English  

Saltar para: Menu Principal, Conteúdo, Opções, Login.

Ajuda Contextual  
home
Início > Cursos > Disciplinas > LAS04
Menu Principal
Autenticação





Esqueceu a sua senha de acesso?

Modelos e Metodologias de Animação

Informações

    As horas de Tutoria ocorrem em horário a estabelecer com o(s) docente(s) da UC.


Ano letivo: 2023/2024 - 1S

Código: LAS04    Sigla: MMA
Áreas Científicas: Pedagogia
Secção/Departamento: Ciências Sociais e Pedagogia

Cursos

Sigla Nº de Estudantes Plano de Estudos Ano Curricular ECTS Horas Contacto Horas Totais
LAS 35 Plano de estudos_2021 5,0 60 135,0

Nº de semanas letivas: 15

Responsável

DocenteResponsabilidade
Isabel Maria da Silva Esteves FilipeResponsável

Carga horária

Horas/semana T TP P PL L TC E OT OT/PL TPL O S
Tipologia de aulas

Corpo docente

Tipo Docente Turmas Horas
Horas de Contacto Totais 1 4,00
Isabel Filipe   4,00

Língua de Ensino

Português

Objetivos de aprendizagem (conhecimentos, aptidões e competências a desenvolver pelos estudantes)

Os objetivos de aprendizagem são os seguintes:
- Enquadrar e definir a Animação Sociocultural enquanto campo de ação e intervenção social ao longo da história;
- Conhecer, analisar e problematizar modelos, técnicas e práticas de Animação Sociocultural relacionando diferentes objetivos (sociais, culturais, recreativos, económicos...);
- Identificar perfis, funções e competências dos Técnicos Superiores de Animação Sociocultural e relacionar com as diferentes características da Animação sociocultural (instituições, suportes, equipamentos e públicos...);
- Nomear, caracterizar e compreender algumas das metodologias que se utilizam na área da Animação Sociocultural;
- Entender e saber aplicar a Metodologia de Projeto;
- Compreender a importância da Identidade Profissional.

Conteúdos programáticos

1. Conceções de Animação Sociocultural:
- O conceito de Animação Sociocultural e a sua ligação à intervenção social;
- Características da Animação Sociocultural;
- O enquadramento histórico da Animação sociocultural desde a antiguidade até à modernidade.

2. Construção da(s) identidade(s) profissional(is)
- Do voluntariado à profissionalização;
- A identidade profissional do Técnico Superior de Animação Sociocultural: Estatuto Profissional da carreira de Animador/a Sociocultural.

3. Contextos, práticas e metodologias de Animação Sociocultural
- Competências e funções gerais do Técnico Superior de Animação Sociocultural;
- Diversificação de funções e de papéis em relação com os contextos e necessidades de Intervenção;
- Métodos e Técnicas de Animação Sociocultural: sistemas de planificação, reflexão ação, avaliação, técnicas e instrumentos de intervenção.


Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da UC

Num curso que forma para uma profissão – Animação Sociocultural (ASC) - que tem um caráter generalista, há que acautelar aquilo que é a matriz dominante do ponto de vista do exercício da profissão. Explora-se, assim, a diversidade de âmbitos da Animação Sociocultural, ensinando a perceber a diversidade de enfoques e públicos que a Animação Sociocultural pode abranger enquanto exercício no terreno mas procura-se também distinguir os traços identitários da profissão. Essas são as propostas de conteúdo que fazemos, consubstanciadas também em metodologias que permitem a sua apropriação. Consideramos, assim, que os conteúdos abordados permitem dar resposta ao objetivo geral traçado de contribuir para a conceptualização da profissão e para a aprendizagem do seu exercício.

Metodologias de ensino

As aulas são construídas em torno de dois blocos: um bloco de natureza mais teórico e outro essencialmente prático.
- O bloco teórico tem por base um conjunto de textos sobre a Animação Sociocultural e as práticas de intervenção dos Técnicos de Animação Sociocultural. É feita a leitura, análise, apresentação e discussão de textos e elaboração de pequenos comentários críticos, recorrendo a técnicas de animação de leitura dialógica e reflexão partilhada.
- O bloco mais prático apresenta-se como um primeiro ensaio prático das competências exigidas aos Técnicos Superiores de Animação Sociocultural relativamente à elaboração de planos de ação e dinamização de projetos socioculturais, com base em dinâmicas de grupo e técnicas criativas. Em cada sessão, são analisadas as questões pedagógicas, relacionais e comunicacionais. Os estudantes passam, gradualmente, de destinatários dos seus planos de ação a planeadores e executores dos mesmos.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da UC

A UC tem por objetivo fazer com que os estudantes se vão apropriando das metodologias adequadas a utilizar na intervenção em Animação Sociocultural – sendo a sua matriz a participação dos grupos e das comunidades em processos que levem ao seu desenvolvimento pessoal, enriquecimento cultural e bem-estar social. Os estudantes devem assim compreender a necessidade de mobilizar na ação um conjunto de técnicas que se devem enquadrar devidamente nas intenções que as subjazem. As técnicas não são assim apenas procedimentos inócuos do domínio do fazer mas também se enraízam numa área conceptual que as consubstancia e que deve ser mobilizada na intervenção. Estas finalidades implicam aquilo que procuramos fazer: um doseamento correto entre a informação fornecida pelo docente, a leitura e análise de textos pelos próprios estudantes, privilegiadamente escolhidos entre as revistas e artigos científicos disponíveis na área (preferencialmente escritos por investigadores da área e no âmbito de práticas e projetos da responsabilidade de Técnicos Superiores de Animação Sociocultural) e práticas efetivas de planeamento e de concretização de projetos de Animação Sociocultural.

Metodologia e provas de avaliação

1.Participação nas aulas (Individual - 35%)
2.Teste (Individual - 35%)
3.Trabalho (Grupo - 30%)

Regime de assiduidade

75% de presenças obrigatórias
50% para os trabalhadores estudantes

Bibliografia

- Ander-Egg, E. (1999). O Léxico do Animador. ASPGP (Movimento de Renovação Pedagógica);

- Ander-Egg, E. (1997). Perfil del Animador Socio-Cultural. Gráficas Dias;

- APDASC (2019). Estatuto do/a Animador/a Sociocultural. In: http://apdasc.com/wp-content/uploads/2020/11/Novo-Estatuto-Profissional-Carreira-Animador-Sociocultural1.pdf;

- Cebolo, C., Pereira, J., & Lopes, M. (coord.) (2012). Animação Sociocultural, Intervenção e Educação Comunitária: democracia, cidadania e participação. Intervenção – Associação para a promoção e divulgação cultural;

- Filipe, I., Batista, B., & Leitão, M. (coord.) (2019). Animação Sociocultural: construindo o futuro. APDASC – Associação Portuguesa para o Desenvolvimento da Animação Sociocultural;

- Filipe, I. (2015). Partilha de saberes: uma experiência intergeracional. In: O Animador no Século XXI: perfil, funções, âmbitos, metodologias, modelos de formação e projetos de intervenção. Intervenção – Associação para a promoção e divulgação cultural;

- Gillet, Jean-Claude (1995). Animation et Animateurs . Le sens de l’action . L’Harmattan;

- Leal, A., Lopes, M. & Montez, M. (coord.) (2021). Jean-Claude Gillet: o homem e o seu legado. Um pedagogo da Animação Sociocultural. Intervenção – Associação para a promoção e divulgação cultural;

- Lopes, M. (coord.) (2015). O Animador no Século XXI: perfil, funções, âmbitos, metodologias, modelos de formação e projetos de intervenção. Intervenção – Associação para a promoção e divulgação cultural;

- Lopes, M. (coord.) (2008). Animação Sociocultural em Portugal. Intervenção – Associação para a promoção e divulgação cultural;

- Malsonneuve, J. (2004). A Dinâmica dos Grupos. Ed. Livros do Brasil;

- Pinto, A., Soares, C., Vaz, F., Marques, O. (2003). Interargir: Técnicas de Animação. Edições Salesianas;

- Prado, D. (coord.) (1996). Técnicas creativas y lenguaje total. USC;

- Quintana, J. M. (1992). Fundamentos de Animación sociocultural. Nancea;

- Sousa, F. C., Pereira, D., & Lopes, M. (coord.) (2019). Animação Sociocultural, território rural, património, turismo, envelhecimento e desenvolvimento comunitário: estratégias, recursos e métodos de combate ao despovoamento. Intervenção – Associação para a promoção e divulgação cultural;

- Trilla, J. (coord.) (2004). Animação Sociocultural: teorias, programas e âmbitos. Piaget;

- Ventosa, V. J. (2016). Didática da Participação: Teoria, metodologia e prática. SESC.

Opções
Página gerada em: 2024-07-12 às 14:09:34 Última actualização: 2010-07-19