This Page in English  

Saltar para: Menu Principal, Conteúdo, Opções, Login.

Ajuda Contextual  
home
Início > Cursos > Disciplinas > DESP05
Menu Principal
Autenticação





Esqueceu a sua senha de acesso?

Sociologia do Desporto

Informações

    As horas de Tutoria ocorrem em horário a estabelecer com o(s) docente(s) da UC.


Ano letivo: 2023/2024 - 2S

Código: DESP05    Sigla: SD
Áreas Científicas: Ciências Sociais
Secção/Departamento: Ciências e Tecnologias

Cursos

Sigla Nº de Estudantes Plano de Estudos Ano Curricular ECTS Horas Contacto Horas Totais
DESP 47 Plano de Estudos_2016_17 5,0

Nº de semanas letivas: 15

Responsável

DocenteResponsabilidade
Cristina Maria Gomes da SilvaResponsável

Carga horária

Horas/semana T TP P PL L TC E OT OT/PL TPL O S
Tipologia de aulas

Corpo docente

Tipo Docente Turmas Horas
Horas de Contacto Totais 1 4,00
Rahul Kumar   4,00

Língua de Ensino

Português

Objetivos de aprendizagem (conhecimentos, aptidões e competências a desenvolver pelos estudantes)

Apresentação:
O Desporto na sociedade contemporânea é assumido como sendo um acontecimento social de elevada importância, mobilizador de um número crescente de entusiastas, praticantes e não praticantes, imbuídos de uma vontade genuína de fazer mais e melhor, enquadrados por regras, códigos éticos e deontológicos adequados aos diferentes contextos sociais e de prática do exercício físico e do desporto.
Sendo a Sociologia do Desporto uma área disciplinar da Sociologia e das Ciências do Desporto, torna-se pertinente abordar num contexto de unidade curricular, a contextualização do desenvolvimento do desporto nas mudanças sociais das sociedades ocidentais ao longo do séc. XX e inícios do séc. XXI, em particular a relação com as tendências do processo de Globalização, conceitualizando o desporto, por via de uma abordagem sociológica de fenómenos sociais, tendo presente a investigação empírica e consequente construção teórica em torno do desporto.
Não obstante, tendo como pressupostos de partida a análise das relações entre o desporto e outras esferas da vida social é objetivo da presente unidade curricular compreender a organização social e o modelo de interação social que existe dentro do desporto. Refletir sobre processos relacionados com a socialização, competição, cooperação, conflitos, estratificação social e mudanças sociais.
Nesse sentido, pretende-se que os estudantes atinjam os seguintes objetivos:

a) Promover e desenvolver o interesse pelo significado social do desporto na sociedade moderna.
b) Promover o interesse e a compreensão da estrutura social, relações sociais e os problemas sociais do desporto (causas e consequências).
c) Identificar as teorias e métodos das ciências sociais que nos permitem compreender de melhor forma o desporto.
d) Dotar os estudantes com a competência de distinguir, avaliar e compreender as tendências reveladas pelos fenómenos desportivos, e o quadro social em que os mesmos decorrem.
e) Promover e desenvolver análise crítica sobre o desporto na sociedade.
f) Desenvolver aptidões e competências no domínio da investigação na área da Sociologia do Desporto, que passam pela aquisição de conhecimento das metodologias e instrumentos a utilizar no domínio da pesquisa das ciências do desporto, de forma a permitir-lhes o levantamento e diagnóstico dos factos sóciodesportivos centrados, principalmente, nos fatores da sociedade portuguesa e do universo desportivo.

Conteúdos programáticos

1. Conceitualização
1.1. Conceito, objeto de estudo da sociologia
1.1.1. Significado prático da sociologia
1.2. Fundamentos teóricos da sociologia do desporto
1.3. Estruturação de trabalhos académicos

2. O Desporto como um Produto Social
2.1. O desporto como fenómeno social 
2.1.1. Fenómeno contemporâneo das origens da sociedade 
2.1.2. Sua presença em todas as sociedades 
2.1.3. Significação social do desporto 
2.2. A oferta e procura desportiva: emprego no desporto
2.2.1. Determinantes sociais da oferta e procura desportiva
2.3. Hábitos desportivos e estilos de vida
2.3.1. Lógicas sociais das diferentes práticas desportivas e sua configuração no sistema
2.3.2. Procura desportiva da população portuguesa
2.4. Desporto como Profissão em Portugal

3. Jovens e Desporto
3.1. Participação desportiva informal e formal
3.2. Comportamentos Desviantes
3.3. Teorias explicativas
3.4. Violência no Desporto

4. Doping no Desporto
4.1. Evolução do conceito do Doping
4.2. Dimensão social do Doping

5. Globalização, Meios de Comunicação e Desporto
5.1. Influência da globalização no desporto
5.2. Jogos Olímpicos (Estudo de Caso)
5.3. Relação entre os meios de comunicação e o desporto

6. Desporto para Todos
6.1. Alterações sociodemográficas da Sociedade
6.2. Tempo livre, lazer e desporto
6.3. Desporto para todos: um conceito global e humanista

7. O desporto em Prospectiva
7.1. As novas tendências do desporto
7.2. Desportos emergentes (alternativas ao desporto formal)
7.3. Desafios futuros


Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da UC

Privilegiar-se-ão metodologias que propiciem a relação teoria/prática, assente no trabalho de pesquisa/projeto, quer individual, quer em grupo, com vista ao desenvolvimento de competências de resolução de problemas, de análise e de síntese. Pretende-se, igualmente, desenvolver nos estudantes o espírito crítico, a criatividade e a autonomia, através da discussão orientada de trabalhos de projeto, o ensino recíproco, o debate e a exposição de temáticas do programa constituirão estratégias preferenciais.

Tendo em vista o desenvolvimento da capacidade de raciocínio analítico e a apropriação de instrumentos relacionados com a sociologia do desporto, os conteúdos programáticos são organizados numa perspetiva de contextualização do desenvolvimento do desporto nas mudanças sociais das sociedades ocidentais ao longo do séc. XX e inícios do séc. XXI, em particular a relação com as tendências do processo de Globalização.

Metodologias de ensino

A abordagem dos conteúdos programáticos será feita através de aulas de natureza expositiva de apresentação de conteúdos e discussão de temas por parte dos estudantes, através de aulas direccionadas para o levantamento de questões e o desenvolvimento de estudos práticos. Nas aulas teórico-práticas a ênfase será dada na utilização de métodos demonstrativos e ativos, no ensino pela descoberta.

No trabalho de projeto, privilegiar-se-á o ensino recíproco, o apoio presencial e à distância na orientação da pesquisa dos temas em estudo e na realização dos trabalhos escritos e/ou apresentações orais.

O processo compreenderá: a) a exposição de temas pelo docente; b) a leitura e análise de textos científicos; c) a realização de trabalhos escritos e/ou apresentações orais.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da UC

A escolha das metodologias de ensino é efetuada com base nos objetivos de aprendizagem. Articulam-se aulas teóricas e práticas, sendo que as primeiras assentam num método expositivo e interrogativo, fazendo apelo a aquisição e aplicação de conhecimentos; as últimas procuram operacionalizar conceitos e basear-se em análise das organizações do desporto.

Privilegiar-se-á as metodologias ativas, o ensino pela descoberta, envolvendo os estudantes no processo de ensino-aprendizagem, centrado numa abordagem de conceitos teóricos referenciados pela investigação científica e sua aplicação às situações práticas.

Metodologia e provas de avaliação

A avaliação da unidade curricular assenta no regime de avaliação contínua, que se consubstancia em momentos de processo e de produto. Constituem valências da avaliação contínua:

- individual. Portfolio de aprendizagens (75%)

- de grupo. Apresentação de um texto em sala de aula (25%).




Regime de assiduidade

Regime de assiduidade:
a) esteja presente em 60% das aulas e participe na discussão das questões em análise, bem como na realização dos trabalhos propostos;
b) realize as tarefas, reflexões críticas e os trabalhos programados, evidenciando com clareza e rigor a apropriação dos conhecimentos sobre a matéria.

Bibliografia

Appadurai, Arjun. 2004. «Jogar com a modernidade: a descolonização do críquete indiano». Em Dimensões culturais da globalização. A modernidade sem peias. Lisboa: Terramar, 123-154.

Bourdieu, Pierre «Como se pode ser desportista». Em Questões de Sociologia. Lisboa: Fim de Século, 181-203.

Coelho, João Nuno. 2004. «Vestir a camisola: jornalismo desportivo e a selecção nacional de futebol”. Media & Jornalismo, vol. 4, nº. 4: 27-39.

DGEEC. 2020. Inquérito aos hábitos desportivos da população escolar portuguesa. 1º Ciclo. Portugal Continental. Lisboa: DGEEC.

Domingos, Nuno. 2020. «Eusébio, o lusotropicalismo e a globalização dos ídolos desportivos». Em Carlos Fiolhais et al (coord.), História Global de Portugal, Lisboa: Círculo de Leitores, 625-631.

Domingos, Nuno e Rahul Kumar. 2011. «A grande narrativa desportiva: o desporto nos média em Portugal». Em José Neves e Nuno Domingos (eds.), Uma história do desporto em Portugal: corpos, espaços e média, Vol. I. Vila do Conde:
Quid Novi, 207-310.

Elias, Norbert e Eric Dunning. 2019. A busca da excitação. Desporto e lazer no processo civilizacional. Lisboa: Edições 70.

Ferreira, Vítor Sérgio. 2013. «Resgates sociológicos do corpo: esboço de um percurso conceptual». Análise Social, vol. 48, no. 208: 494-528.

Kumar, Rahul. 2012. «Os piratas da corrida. Elementos para a democratização da prática desportiva em Portugal». Em Actas do Congresso de História de Desporto: Olimpismo. Lisboa: IHC, 95-102.

Lopes, Carla, et al. 2017. Inquérito Alimentar Nacional e de Atividade Física. Porto: Universidade do Porto.

Vaz, Alexandre Fernandez. 2005. «Doping, esporte, performance: notas sobre os ‘limites’ dos corpos». Revista Brasileira de Ciências do Esporte, vol. 27, no. 1: 23-36.

Vigarello, Georges. 2022. «Virilidades desportivas». Em Jean-Jaques Courtine (dir.), História da Virilidade III. A Virilidade em Crise? Séculos XX-XXI. Lisboa: Orfeu Negro, 237 - 262

Observações

Os estudantes com estatuto especial, que não possam estar presentes em 80% das aulas previstas, devem dar conhecimento deste estatuto ao docente nos primeiros quinze dias de aulas, sendo definido um plano de trabalho a desenvolver e critérios de avaliação adaptados, em função das possibilidades e condições particulares de frequência dos estudantes implicados, de forma a permitir o acompanhamento dos conteúdos programáticos e a respetiva avaliação contínua.

Opções
Página gerada em: 2024-06-13 às 02:46:19 Última actualização: 2010-07-19