This Page in English  

Saltar para: Menu Principal, Conteúdo, Opções, Login.

Ajuda Contextual  
home
Início > Cursos > Disciplinas > EDB10045
Menu Principal
Autenticação





Esqueceu a sua senha de acesso?

Contextos Multiculturais e Educação

Informações

    As horas de Tutoria ocorrem em horário a estabelecer com o(s) docente(s) da UC.


Ano letivo: 2023/2024 - 1S

Código: EDB10045    Sigla: CME
Áreas Científicas: Formação Educacional Geral
Secção/Departamento: Ciências Sociais e Pedagogia

Cursos

Sigla Nº de Estudantes Plano de Estudos Ano Curricular ECTS Horas Contacto Horas Totais
LEB 75 Plano de Estudos 2015_16 5,0 60 135,0

Nº de semanas letivas: 15

Responsável

DocenteResponsabilidade
Cristina Maria Gomes da SilvaResponsável

Carga horária

Horas/semana T TP P PL L TC E OT OT/PL TPL O S
Tipologia de aulas

Corpo docente

Tipo Docente Turmas Horas
Horas de Contacto Totais 2 8,00
Rahul Kumar   8,00

Língua de Ensino

Português

Objetivos de aprendizagem (conhecimentos, aptidões e competências a desenvolver pelos estudantes)

- Compreender a complexidade holística do Homem no quadro da sua diversidade cultural.
- Desenvolver uma visão fundamentada, reflexiva e crítica sobre as problemáticas da Multiculturalidade, Educação e Pedagogia, bem como sobre a sua evolução.
- Dominar uma cultura histórica na área da Educação e, em particular, da Educação em Portugal, que lhe permita situar-se criticamente na profissão docente.
- Conhecer os processos formais e informais de ensino/ aprendizagem em diferentes contextos de diversidade sócio-cultural.
- Aplicar metodologias e técnicas de investigação próprias das ciências sociais, para um entendimento da heterogeneidade da interacção social e cultural.

Conteúdos programáticos

PARTE A:

Multiculturalismo, diáspora, minorias étnicas, imigrantes. Conceitos fundamentais para interpretar o multiculturalismo nas sociedades contemporâneas.
Racismo e desigualdade.
A diversidade na escola contemporânea: Minorias, Interculturalidade e Racismo Institucional.


PARTE B:
Noções básicas sobre Redes e Agrupamentos de Escolas
Projeto TEIP: Territórios Educativos de Intervenção Prioritária
Multiculturalidade e Currículo:
1.O perfil dos alunos à saída da escolaridade obrigatória
2.Noções básicas sobre Autonomia e Flexibilidade Curricular
3.A escola tradicional, a escola integrativa e a educação inclusiva
Multiculturalidade e Inclusão: o respeito à diferença na prática pedagógica – DUA: Desenho Universal para a Aprendizagem e Abordagem Multinível
Introdução à Estratégia Nacional da Educação para a Cidadania.


Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da UC

Num mundo interdependente e multicultural, espera-se que os estudantes assumam uma perspectiva inter/transdisciplinar para conseguirem uma visão holística da realidade. Os novos educadores/professores têm que adquirir um conjunto de conteúdos e competências que os habilitem a enfrentar as novas realidades sociais e culturais globalizadas.
Portugal vem passando por uma transformação na sua heterogeneidade étnico-cultural, particularmente nas áreas metropolitanas marcadas pela imigração.
A escola é das instituições públicas onde essas mudanças se refletem de forma mais visível: estamos perante uma demografia da diversidade (género, classe social, etnicidade, nacionalidade, língua, religião). A multiculturalidade, e as situações que dela emergem, é uma realidade que os professores terão de enfrentar no futuro.
Um conhecimento aprofundado dos contextos históricos de ruptura educacional é condição para uma profissionalidade crítica nos modernos tempos de complexidade e de interacção inter/multicultural.

Metodologias de ensino

Espera-se uma participação ativa dos estudantes no desenrolar de todas atividades (letivas e não letivas, incluindo a avaliação da UC), designadamente através de uma presença assídua nas aulas. A Plataforma Moodle será um meio privilegiado para, em particular os trabalhadores-estudantes, acompanharem as atividades da UC.

As diferentes temáticas a abordar serão organizadas pelas docentes através de aulas teóricas e teórico-práticas com utilização de meios multimédia. As metodologias utilizadas contemplarão designadamente:
- Leitura, comentário e debate de textos de referência e da imprensa escrita.
- Realização de trabalhos práticos individuais, a pares e em pequeno grupo.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da UC

Os estudantes devem proceder à leitura, análise e resumo crítico de artigos centrados nas problemáticas educativa e/ou inter/multicultural.
Procura-se igualmente incentivar o trabalho de equipa e a partilha de conhecimentos inter-pares.

Metodologia e provas de avaliação

Os estudantes serão sujeitos a um processo de avaliação contínua.

Trabalho individual:
70% -Portfólio de aprendizagens

Trabalho de grupo:
30% - Apresentação de um texto em grupo em sala de aula.

Considera-se aprovado na avaliação contínua o/a estudante que apresente uma classificação final igual ou superior a 10 valores e que, cumulativamente, tenha obtido em cada produto de avaliação uma classificação superior a 8 valores.
Os/as trabalhadores-estudantes devem contactar as docentes nas duas primeiras semanas de aulas de modo a se poder identificar/negociar a avaliação.

EXAME FINAL
A opção pelo exame final poderá constituir recurso para quem não conclua com sucesso uma trajetória de avaliação contínua (não tendo obtido uma classificação igual ou superior a 8 valores), ou ainda, para quem pretenda fazer "melhoria de nota" (ver diferentes épocas de exame).

Regime de assiduidade

Aconselha-se a consulta do Regulamento das Actividades Académicas e Linhas Orientadoras de Avaliação de Desempenho Escolar dos Estudantes do Instituto Politécnico de Setúbal
https://www.ips.pt/ips_si/web_base.gera_pagina?P_pagina=30328

Bibliografia

ABRANTES (Pedro), et al. "‘A escola dos ciganos’: contributos para a compreensão do insucesso e da segregação escolar a partir de um estudo de caso”, Configurações. Revista Ciências Sociais, N.º 18, 2016, 47-66.

ALMEIDA (Miguel Val e), “Estado-Nação e Multiculturalismo”, Revista Manifesto, Nº. 1, 2002, 63-73.

GÓIS (Pedro) e MARQUES (José Carlos), "Retrato de um Portugal migrante: a evolução da emigração, da imigração e do seu estudo nos últimos 40 anos", ecadernos CES, 29, 2018.

GRANJO (Paulo), “Raça e racismo são coisas que se aprendem” in Jaqueline de Jesus et al., O que é o racismo?, Lisboa, Escolar Editora, 2014, pp. 93-127.

MARQUES (João Filipe), "Os dois racismos dos portugueses", Actas do Vº Congresso Português de Sociologia-Sociedades Contemporâneas: Reflexividade e Acção. Associação Portuguesa de Sociologia, 2004.

MENDES (Maria Manuela), MAGANO, (Olga) e COSTA (Ana Rita), “Ciganos portugueses: escola e mudança social”, Sociologia, Problemas e Práticas [Online], N.º 93, 2020.

MENDES (Manuela), MAGANO (Olga) e CANDEIAS (Pedro), Estudo Nacional sobre as comunidades ciganas, Lisboa, ACM, 2014.

MATOZZI (Martina), “Diáspora”, in Cartografia afro-lusa, de cultura, língua e artes, Projecto Estórias: Portugal-África, 2017.

OLIVEIRA (Catarina Reis), (coord.), GOMES (Natália) e SANTOS (Tiago), Acesso à nacionalidade portuguesa: 10 anos da lei em números, Lisboa, ACM, 2017, pp. 39- 49.

ROLDÃO (Cristina) et al., "Afrodescendentes e oportunidades de acesso ao ensino superior", Actas do IXº Congresso Português de Sociologia – Portugal: Território de Territórios. Associação Portuguesa de Sociologia, 2016.

SAYAD, (Adbelmalek), “O retorno: elemento constitutivo da condição do imigrante”, Travessia – Revista do Migrante, Vol. 13 (Especial), 2000, 7-10.

SEABRA (Teresa), et al., Atlas dos alunos com origem imigrante, Lisboa, Observatório das Desigualdades, 2023.

SIMMEL (Georg), “O estrangeiro”, in Evaristo Moraes Filho (Org.). Simmel: Sociologia. São Paulo: Ática, 1983, pp. 182-188.

Opções
Página gerada em: 2024-06-13 às 02:41:22 Última actualização: 2010-07-19