This Page in English  

Saltar para: Menu Principal, Conteúdo, Opções, Login.

Ajuda Contextual  
home
Início > Cursos > Disciplinas > EDB20045
Menu Principal
Autenticação





Esqueceu a sua senha de acesso?

Teoria e Gestão do Currículo

Informações

    As horas de Tutoria ocorrem em horário a estabelecer com o(s) docente(s) da UC.


Ano letivo: 2023/2024 - 2S

Código: EDB20045    Sigla: TGC
Áreas Científicas: Didáticas Específicas
Secção/Departamento: Ciências Sociais e Pedagogia

Cursos

Sigla Nº de Estudantes Plano de Estudos Ano Curricular ECTS Horas Contacto Horas Totais
LEB 62 Plano de Estudos 2015_16 4,0 48 108,0

Nº de semanas letivas: 15

Responsável

DocenteResponsabilidade
Sofia Gago da Silva Corrêa FigueiraResponsável

Carga horária

Horas/semana T TP P PL L TC E OT OT/PL TPL O S
Tipologia de aulas

Corpo docente

Tipo Docente Turmas Horas
Horas de Contacto Totais 2 6,40
Isabel Maria Tomásio Correia   3,20
Maria Teresa Elvas de Matos   3,20

Língua de Ensino

Português/Inglês

Objetivos de aprendizagem (conhecimentos, aptidões e competências a desenvolver pelos estudantes)

Com esta Unidade Curricular pretende-se fornecer informação atualizada sobre currículo em educação, nomeadamente no que respeita à adoção de modelos de intervenção educativa.

Pretende-se que os estudantes consigam:

- Identificar e caracterizar as componentes de um currículo.
- Conhecer e analisar os documentos oficiais do currículo formal: OCEPE (2016); Perfil dos Alunos à Saída da
Escolaridade Obrigatória (2017).
- Mobilizar dados da literatura científica e técnica sobre currículos e programas.
- Analisar as origens e os fundamentos teóricos dos modelos curriculares e pedagógicos desde a creche.
- Identificar diferentes modelos curriculares e pedagógicos e apreciar as suas potencialidades e limitações.
- Reconhecer o papel da/o docente de educação de infância e do ensino básico na gestão do currículo.






Conteúdos programáticos

Os conteúdos programáticos desta UC focalizam-se na informação atualizada sobre a construção e desenvolvimento do currículo desde a creche ao 2º ciclo do ensino básico, nomeadamente no que respeita à adoção de modelos de intervenção educativa para o desenvolvimento das crianças. A UC centra-se, assim, nos seguintes conteúdos programáticos:

- Conceito(s) de currículo e desenvolvimento curricular
- Documentos oficiais de apoio ao desenvolvimento do currículo
- Currículo e flexibilidade curricular
- Educador/professor como gestor currículo
- Componentes curriculares não disciplinares transversais: o caso da educação para a cidadania.
- Modelos curriculares em educação: fundamentos teóricos e modos de organização


Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da UC

Os conteúdos programáticos pretendem ajudar os estudantes a adquirir as competências previamente estabelecidas.
Consideram-se diferentes modelos de intervenção educativa, ajustados às realidades emergentes em cada instituição educativa.
O conceito de currículo tem componentes similares a todos os níveis de ensino, pelo que os conceitos trabalhados nesta UC permitem que os/as estudantes conheçam e aprofundem conhecimentos científicos e pedagógicos inerentes à concretização do currículo em educação.
Os modelos curriculares em educação permitem a cada docente implementar um currículo coerente com os seus princípios, ajustando-o às características das crianças e dos jovens, mas respeitando os modelos organizacionais de cada instituição. Pelo exposto se compreende que os conteúdos programáticos abordem conceitos fundamentais da ação pedagógica, nunca esquecendo que o que se pretende é que os/as estudantes conheçam e compreendam os seus fundamentos.

Metodologias de ensino

O trabalho a desenvolver no âmbito desta UC, privilegiará a participação ativa dos/das estudantes quer em trabalho individual, quer em trabalho de grupo procurando o aprofundamento de conhecimentos relacionados com o tema.
A UC é lecionada com base em sessões teórico-práticas sobre os conteúdos, trabalhos individuais e de grupo e debates em turma, nomeadamente:
- Leitura e compreensão de textos e documentos variados.
- Discussão orientada de temas.
- Análise de casos concretos a partir de experiências relatadas por profissionais especialistas dos diferentes ciclos de ensino.
Ao longo do semestre espera-se que os/as estudantes consigam: (a) mobilizar os conceitos abordados ao longo da UC; (b) apresentar uma atitude crítica na reflexão da gestão dos diferentes modelos curriculares
As atividades a desenvolver pelos/as estudantes incluirão: (a) leitura e discussão de textos científicos; (b) reflexão e análise crítica de gestão pedagógica dos diferentes modelos de organização curricular; (c) pesquisa de informação relevante para o aprofundamento dos conteúdos desta unidade.

O acompanhamento tutorial em grupo consistirá na orientação e organização do estudo sobre as temáticas a aprofundar, para além do esclarecimento de dúvidas decorrentes do estudo efetuado. Poderá ser feito presencialmente ou a distância.


Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da UC

Evidenciam a necessidade de uma formação inicial de educadoras/es e professoras/es orientada para o desenvolvimento de competências que contemplem os saberes e os valores próprios da profissão docente. Pretende-se que estas abordagens conduzam a um processo de construção/reconstrução dos referenciais teóricos, partindo dos conhecimentos emergentes da investigação científica e situando-os no contexto educativo português. A UC estrutura-se com base no trabalho individual e no trabalho de grupo e/ou a pares, sendo solicitado às/aos estudantes que articulem os diferentes conhecimentos teóricos e experienciais trabalhados presencialmente ao longo das sessões. Estas estratégias irão permitir à/ao estudante desenvolver um conhecimento reflexivo e continuado de aprofundamento das suas aprendizagens. Pretende-se fomentar a construção de saberes que permitam adquirir e aprofundar as competências previamente estabelecidas e que se direcionam para uma formação académica e profissional que exige o conhecimento, integração e reflexão da educação desde a creche ao 2º ciclo do ensino básico. A dinâmica dos trabalhos de grupo propostos possibilitará às/aos estudantes o ganho de atitudes das quais se destaca a reflexão crítica e o trabalho de parceria que lhes permita a compreensão e a urgência de um trabalho colaborativo em educação. Ao longo das sessões presenciais, as/os estudantes contactam com profissionais especialistas convidados dos diferentes níveis de ensino (desde a creche ao 2º ciclo do ensino básico) que com eles partilham as suas experiências de gestão do currículo, nomeadamente no que se refere à sua opção por determinada/o abordagem/modelo pedagógico. Esta metodologia permite que os/as estudantes se formem não apenas centrados nos fundamentos teóricos, mas que se formem apoiados por uma relação com os profissionais de educação. Nas sessões em que estes profissionais especialistas participam pretende-se refletir a complexidade e singularidade do ato educativo e a sua implicação na gestão do currículo. Pretende-se, igualmente promover o diálogo, a discussão e o questionamento


Metodologia e provas de avaliação

A modalidade de avaliação contínua incidirá sobre o trabalho desenvolvido ao longo da UC. Serão tidos em conta: (a) (a) Trabalho individual sobre um dos modelos curriculares abordados - 60%; (b) Trabalhos de grupo iniciados em contexto de sala de aula - 40%.
Trabalho de grupo 1 - Flexibilidade Curricular
Trabalho de grupo 2 – Educação e Cidadania
2 Trabalhos de grupo – 20% cada = 40%
-Trabalho individual sobre um dos modelos curriculares analisados - 60%
A avaliação dos estudantes que frequentam a UC na modalidade mobilidade virtual incide:
- Trabalho individual sobre um dos modelos curriculares/abordagem pedagógica abordados nas aulas- 60% entrega no
- Receção critica de dois textos, à escolha
Na primeira quinzena do semestre os estudantes com estatuto especial – estudantes/trabalhadores, bem como os estudantes que se encontrem em mobilidade, deverão negociar com os/as docentes formas individuais de avaliação caso não consigam cumprir os requisitos anteriormente referidos.
Espera-se que cada estudante possa estar presente em, pelo menos, 75% das sessões de modo a analisar e discutir os textos propostos e a executar os produtos de avaliação em estreita relação com os/as docentes da UC. Excetuam-se os/as estudantes com estatuto especial, que deverão garantir a sua participação nos trabalhos de grupo realizados em sala de aula.

Regime de assiduidade

Espera-se que cada estudante possa estar presente em, pelo menos, 75% das sessões de modo a analisar e discutir os textos propostos e a executar os produtos de avaliação em estreita relação com os/as docentes da UC. Excetuam-se os/as estudantes com estatuto especial, que deverão garantir a sua participação nos trabalhos de grupo.

Bibliografia

ARENDS, R. (1995). Aprender a Ensinar. Lisboa: McGraw Hill.
BLATCHFORD, I. (Coord.) (2004) Manual De Desenvolvimento Curricular Para a Educação de Infância, Lisboa, Texto Editora.
CARDONA, M. J. (1997), Pensar o currículo em Educação Pré-Escolar, in Actas do VII Encontro Nacional da APEI (Abril 1997), Lisboa: APEI, pp. 7-16.
CARDONA, M. J. (2011). Educação pré-escolar ou pedagogia da educação de infância? Fundamentos e conceções subjacentes. Nuances: estudos sobre Educação, Ano XVII, v. 20, n.º 21, set./dez., 144-162.
EDWARDS, C; Forman, G.; Gandini, L. (2015) As Cem linguagens das crianças A experiência de Reggio Emilia em Transformação. Porto Alegre: Penso.
EPSTEIN, A., Hohmann, M. (2019). O Currículo pré-escolar Highscope. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian
FOLQUE, A. (2012) O Aprender a Aprender no Pré-escolar – O Modelo Pedagógico do Movimento da Escola Moderna. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian
FORMOSINHO, J.. (org.) (2007). Modelos Curriculares em Educação de Infância. Porto: Porto Editora.
Grupo de Trabalho de Educação para a Cidadania (s. d.) Estratégia Nacional de Educação para a Cidadania. Obtido de http://dge.mec.pt/sites/default/files/Projetos_Curriculares/Aprendizagens_Essenciais/estrategia_cidadania_original.pdf
KATZ, L. & CHARD, S. (1997) A abordagem de projecto na educação de infância. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian
MENDONÇA, M. (1996). “Contributos para explicitar a organização do desenvolvimento curricular em jardim-de-infância”. Reflectir,Escola Superior do Algarve, Universidade do Algarve, pp. 24-30.
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO (2000) A Educação Pré-Escolar e os Cuidados para a Infância em Portugal, Lisboa: Ministério da Educação, Departamento da Educação Básica.
MOITA, C. (2012). Para uma ética situada dos profissionais de educação de infância. Lisboa: APEI - Associação de Profissionais de Educação de Infância.
NÓVOA, A.; MARCELINO, F.; RAMOS DO Ó, J. (Org) (2012) Sérgio Niza escritos sobre educação. Lisboa: Tinta da China
OLIVEIRA-FORMOSINHO, J. (2000), “Os Modelos pedagógicos para a Educação de Infância e o Desafio da Diversidade Pedagógica”, Actas do VII Encontro Nacional da APEI (abril,1997), Lisboa: APEI, pp. 107-120.
OLIVEIRA-FORMOSINHO, J. (2001) Os Modelos Pedagógicos para a Educação de Infância e o Desafio da Diversidade Pedagógica in Pensar o Currículo em Educação de Infância, Actas do VII Encontro Nacional da APEI, Lisboa, APEI, pp 19-21
OLIVEIRA-FORMOSINHO, J. (Org.) (2013). Modelos curriculares para a educação de infância - Construindo uma praxis de participação (4ª ed.). Porto: Porto Editora.
OLIVEIRA-FORMOSINHO, J. e ARAÚJO, S. B. (2018) Modelos Pedagógicos para a Educação em Creche. Porto. Porto Editora.
OLIVEIRA-FORMOSINHO, J., & Formosinho, J. (2011). O Espaço e o Tempo na Pedagogia-em-Participação). Porto: Porto Editora.
OLIVEIRA-FORMOSINHO, J.; GAMBÔA, R. (2011) O Trabalho de Projeto na Pedagogia-em-Participação. Porto: Porto Editora.
PERRENOUD, P. (2001). Porquê construir competências a partir da escola? Porto: Asa Editores
PERRENOUD, P. (2000). Dez Novas Competências para Ensinar. Porto Alegre: Artmed Editor.
POST, J. (2007) Educação de bebés em Infantários Cuidados e Primeiras Aprendizagens. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian
Decreto-Lei nº 6/2001 de 18/01/01, D.R. nº 15, I Série – A. Reorganização Curricular do Ensino Básico
Despacho nº 6478/2017, 26 de julho. M.E. DGE – O perfil dos alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória
Despacho nº 6944-A/218, 19 de julho, M.E. DGE – Aprendizagens Essenciais referentes ao Ensino Básico
Currículo Nacional -Decreto-Lei nº 55/2018, ME DGE – Flexibilidade e Autonomia Curricular
PORTUGAL, ME-INAFOP (2001). Perfis de desempenho Profissional do Educador de Infância e dos Professor dos Ensinos Básico e Secundário. (Decretos-Lei nº 240/2001 e 241/2001 de 30 de agosto).
Decreto-Lei nº 17/2016 de 4 de abril e Despacho Normativo nº 1-F/2016

Opções
Página gerada em: 2024-06-25 às 13:44:08 Última actualização: 2010-07-19