This Page in English  

Saltar para: Menu Principal, Conteúdo, Opções, Login.

Ajuda Contextual  
home
Início > Cursos > Disciplinas > EDB30018
Menu Principal
Autenticação





Esqueceu a sua senha de acesso?

Introdução às Didáticas das Expressões Física e Artística

Informações

    As horas de Tutoria ocorrem em horário a estabelecer com o(s) docente(s) da UC.


Ano letivo: 2023/2024 - 2S

Código: EDB30018    Sigla: IDEFA
Áreas Científicas: Didáticas Específicas
Secção/Departamento: Artes

Cursos

Sigla Nº de Estudantes Plano de Estudos Ano Curricular ECTS Horas Contacto Horas Totais
LEB 63 Plano de Estudos 2015_16 4,0 48 108,0

Nº de semanas letivas: 15

Responsável

DocenteResponsabilidade
Ana Cristina Ferreira Santos Correa FigueiraResponsável
Joana Isabel Gaudêncio MatosResponsável

Carga horária

Horas/semana T TP P PL L TC E OT OT/PL TPL O S
Tipologia de aulas

Corpo docente

Tipo Docente Turmas Horas
Horas de Contacto Totais 2 6,40
Carlos Luz   1,60
Filipe Fialho   1,60
Joana Matos   1,60
Rita Roberto   1,60

Língua de Ensino

Português

Objetivos de aprendizagem (conhecimentos, aptidões e competências a desenvolver pelos estudantes)

a) Conhecer, pela experimentação, as técnicas, processos e materiais mais adequados ao desenvolvimento das atividades nas diversas áreas.
b) Conhecer e saber interligar e relacionar os conteúdos abordados na unidade curricular, para aplicar em contexto sala de aula, promovendo a aquisição das competências próprios do processo criativo.
c) Conceber e dinamizar atividades e os respetivos procedimentos direcionados para os contextos pedagógicos ou educativos inerentes ao pré-escolar e ao ensino básico.
d) Revelar competência na produção de materiais e recursos de caráter didático para utilizar na intervenção-pedagógica.

Conteúdos programáticos

1 Concepções didáticas e perspetivas teóricas para o ensino das diferentes áreas.
2 Planificação, desenvolvimento, condução e avaliação.
3 Técnicas e processos em expressões.
4 A utilização da voz, do corpo e de meios e recursos diversificados na expressão e comunicação.
5 O papel do educador(a)/professor(a) nas práticas educativas integradas.
6 As artes visuais para a compreensão da cultura visual.
7 O corpo, a voz, os objetos e instrumentos e as produções musicais e dramáticas; os contextos de audição, criação e performance.
8 Instrução, gestão do tempo, controlo da atividade e feedback pedagógico.
9 Os cinco indutores do jogo dramático de Gisèle Barret: (1) objeto, (2) imagem, (3) música, (4) personagem e (5) espaço.


Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da UC

Espera-se que o/a estudante desenvolva a capacidade de organização e de gestão da informação, evidenciando a apropriação e a utilização de conceitos diferenciados sobre as temáticas abordadas e a capacidade de fundamentação e de inter-relação dos diferentes conceitos.
Espera-se, também que o estudante se aproprie dos conhecimentos essenciais à utilização de técnicas e processos nas diversas áreas e aplique os conhecimentos adquiridos na planificação/realização de atividades.

Metodologias de ensino

As sessões serão centradas na experimentação e na discussão em plenário e/ou pequenos grupos a partir da informação fornecida pelo docente ou com recurso a outros materiais, e compreenderão: Leitura, discussão e análise de documentos; Exposição de determinadas temáticas; Sessões práticas aplicadas; Elaboração e apresentação de trabalhos práticos.
A plataforma Moodle possibilita a realização de atividades teórico-práticas e a interação entre docente-estudante e estudante-estudantes sendo, por isso, uma ferramenta mobilizada na avaliação.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da UC

A participação em processos de pesquisa, leitura, exposição oral, debate, experimentação prática, produção e apresentação permitem o saber integrado que é anunciado nos objetivos e que inclui conhecimento, compreensão, aplicação e pensamento crítico e criativo.
As experiências sensoriais, emocionais e cognitivas proporcionadas através das práticas artísticas, nomeadamente no âmbito da Expressão Musical, favorecem o desenvolvimento pessoal, social, artístico e musical, e promovem competências ao nível da integração, inovação, intervenção e transformação no meio envolvente. A planificação de atividades musicais potenciadoras de aprendizagem e desenvolvimento assenta não só no conhecimento da criança como no domínio de técnicas vocais, instrumentais e corporais que são estimuladas na unidade curricular nos ambientes expressivos de apreciação, criação e performance musical.
A natureza integradora da Expressão Dramática/Teatro, nomeadamente o caráter globalizante das práticas da Dramatização e do jogo dramático, proporciona uma experiência de descoberta e aprendizagem ativa e geradora de competências diversificadas e articuladas. A abordagem concetual, performativa e didática de temáticas e dimensões específicas da Expressão Dramática/Teatro, numa perspetiva holística e numa dinâmica processual e dialógica, potenciadora de (re)conhecimento, integração e transformação pessoal, social, cultural, artística e dramático/teatral, afigura-se como essencial na formação de futuros Educadores e Professores e na consequente intervenção pedagógica, peculiarmente na área da Expressão e Educação Artística no Ensino Básico.
A Educação Física constitui uma das componentes de formação e de aquisição de competências necessária para o futuro exercício profissional do professor/educador. O seu domínio, nas suas mais vastas possibilidades de intervenção, revela-se um contributo fundamental para a melhoria da qualidade de vida, da saúde e do bem-estar, sem perder de vista a essência da disciplina consubstanciada na abordagem dos conhecimentos relacionados com o Crescimento e Desenvolvimento Motor, bem como com o Ensino da Educação Física no/em contexto escolar, designadamente a preparação, a organização e o desenvolvimento das atividades.
No que respeita à Expressão Plástica pretende-se que os estudantes desenvolvam a sensibilidade cultural e artística que permita, no desempenho da sua futura atividade profissional, contextualizar as técnicas de expressão plástica numa perspetiva multicultural de Educação pela Arte. Pretende-se, ainda, que o futuro professor/ educador aprofunde o domínio das técnicas mais adequadas à expressão gráfica. Para além do domínio técnico, importa que este conheça as matérias-primas, equipamentos e materiais mais adequados, bem como os respetivos cuidados de higiene e segurança na implementação destas técnicas e processos em contexto educativo.

Metodologia e provas de avaliação

A avaliação poderá ser realizada por duas formas distintas e não complementares: contínua e pontual. A avaliação por exame será igual à avaliação pontual.
Avaliação contínua: a classificação final será uma média das classificações obtidas nas diferentes áreas. Os elementos de avaliação propostos para todas as áreas e a respetiva ponderação são os seguintes:
- Assiduidade e participação (10%): incluem a presença nas sessões, a pontualidade e a participação efetiva nas atividades (comprovada por todos os elementos de cada grupo).
- Planificação de atividades (60%): Inclui a planificação (em grupos de 4/5 estudantes) de atividades para o pré-escolar ou 1º ciclo, articulando as diferentes áreas e recorrendo a um material indutor (assistência ao teatro realizado em Globalização das Expressões). Esta planificação deverá ser realizada e entregue em software de apresentação (e.g. PowerPoint) na plataforma Moodle e deve conter:
a) Caracterização do contexto e do grupo destinatário;
b) Caracterização das temáticas indutoras, com definição das linhas de ação principais (com referência à articulação entre as áreas expressivas);
c) Definição das intencionalidades educativas (objetivos e conteúdos de aprendizagem, fundamentados nas orientações e programas oficiais);
d) Definição e exploração das tarefas propostas e duração prevista;
e) Enunciação de recursos a mobilizar;
f) Explicitação de objetos e meios de avaliação.
- Dinamização de atividades (30%): as atividades planificadas deverão ser dinamizadas (com o próprio grupo ou com crianças), como complemento à apresentação da planificação. Estas atividades deverão ser filmadas e fotografadas, ilustrando processos e produtos, e incluídas no ficheiro da planificação.

Nota: A planificação e dinamização das atividades deverão ser apresentadas e discutidas na última sessão de cada área de expressões, com um tempo máximo de 20 minutos (apresentação) e 5 minutos (discussão).

A classificação final de cada estudante será a média das classificações obtidas nas diferentes áreas de expressões.

Avaliação pontual (para estudantes trabalhadores sem assiduidade): Inclui a realização e apresentação individual de uma planificação (50%), articulando as diferentes áreas e recorrendo a um material indutor, e da sua apresentação e discussão (50%), como atrás referido.

A avaliação por exame será semelhante à avaliação pontual.

Regime de assiduidade

O regime de avaliação contínua prevê a presença em 50% das aulas.

Bibliografia

Acaso, M. (2010). La Educacion Artística no son manualidades. Madrid: Catarata.
Aguilar, L. F. (2001): Expressão dramática – Guia pedagógico para o 1º ciclo de ensino básico. Lisboa: Instituto de inovação educacional.
Barret, G. (1986). Le cadran didatique. Revue des sciences de l’éducation, 12 (1), 115-119.
Cottineli Telmo, I. (1992). Linguagem Gráfica Infantil. Setúbal: ESE/IPS.
Ferreira, M. (2002). Como usar a música na sala de aula. São Paulo: Editora Contexto.
Godinho, J. C. (2010). Era uma vez a música 1.º, 2.º, 3.º e 4.º anos. [Manuais escolares]. Lisboa: Santillana.
Godinho, J. C. e Brito, M. J. N. (2010). As Artes no Jardim de Infância. Lisboa: DGIDC. Disponível em http://www.dge.mec.pt/recursos-0
Gordon, E. E. (2000). Teoria de aprendizagem musical – competências, conteúdos e padrões. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.
Hernández, F. (2000).Cultura Visual, Mudança Educativa e Projeto de Trabalho. Porto Alegre: Artes Médicas Sul.
Leenhardt, P. (1997). A Criança e a Expressão Dramática. Lisboa: Editorial Estampa.
Lowenfeld, V. (1954). A criança e a sua Arte. São Paulo: Editora Mestre Jo.
Luiz, P. & MirandA, A. R. (2014). Dinâmicas de grupo: 100 Exercícios de teatro para adultos e crianças. Lisboa: Chiado Editora.
Martins, A. (2002). Didáctica das Expressões. Lisboa: Universidade Aberta.
ME – CDSF – DGEBS (1992). A Educação Física no 1º Ciclo do Ensino Básico. Lisboa: Ministério da Educação.
Monteiro. G. (2003). O professor, o corpo e a voz (1.ª ed.). Porto: Edições Asa.
Novelly, M. C. (1994). Jogos teatrais para grupos e sala de aula. Campinas, SP: Papirus.
Piéron, M. (1988). Didáctica de las Actividades Físicas y Deportivas. Madrid. Gymnos S.A.
Pires, A. L. O., Assis, M., Gomes, E., Pereira, J. [Eds] (2017). Ensaios entre Arte e Educação. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.
Reis, L. (2005). Expressão Corporal e Dramática. Lisboa: Produções Editoriais, Lda.
Ryngaert, J.-P. (1981). O Jogo Dramático no Meio Escolar. Coimbra: Centelha.
Swanwick, K. (2003). Ensinando música musicalmente. São Paulo: Moderna.
Viadel, R. M.(coord.)(2003). Didática de la Educacíon Artística para Primaria. Madrid: Pearson Educacíon.

Orientações e Programas Oficiais:
Silva, I., Marques, L.; Mata, L. & Rosa, M. (2016). Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar. Lisboa: ME-DGE. Acedido em http://www.dge.mec.pt/noticias/educacao-de-infancia/orientacoes-curriculares-para-educacao-pre-escolar
Ministério da Educação. Expressão e Educação: Físico-motora, musical, dramática e plástica. Organização Curricular e Programas, 1.º ciclo. pp 35-97. Acedido em http://www.dge.mec.pt/expressoes-artisticas-e-fisico-motoras

Observações


Opções
Página gerada em: 2024-04-18 às 18:38:39 Última actualização: 2010-07-19