This Page in English  

Saltar para: Menu Principal, Conteúdo, Opções, Login.

Ajuda Contextual  
home
Início > Cursos > Disciplinas > LAS21
Menu Principal
Autenticação





Esqueceu a sua senha de acesso?

Redes, Solidariedades e Coesão Social

Informações

    As horas de Tutoria ocorrem em horário a estabelecer com o(s) docente(s) da UC.


Ano letivo: 2023/2024 - 1S

Código: LAS21    Sigla: RSCS
Áreas Científicas: Ciências Sociais
Secção/Departamento: Ciências Sociais e Pedagogia

Cursos

Sigla Nº de Estudantes Plano de Estudos Ano Curricular ECTS Horas Contacto Horas Totais
LAS 34 Plano de estudos_2021 5,0 60 135,0

Nº de semanas letivas: 15

Responsável

DocenteResponsabilidade
Carla Cibele Fiel Vasconcelos FigueiredoResponsável

Carga horária

Horas/semana T TP P PL L TC E OT OT/PL TPL O S
Tipologia de aulas

Corpo docente

Tipo Docente Turmas Horas
Horas de Contacto Totais 1 4,00
Ema Isabel Inácio   4,00

Língua de Ensino

Português

Objetivos de aprendizagem (conhecimentos, aptidões e competências a desenvolver pelos estudantes)

¬Domina conhecimentos relativos a técnicas de observação e diagnóstico das relações interpessoais no seio dos grupos sociais.
¬Compreende, no âmbito da Sociologia e da Antropologia, a génese teórica e metodológica das redes sociais.
¬Relaciona o conceito de rede social com outros similares, distinguindo a sua atualidade e especificidade face a algumas características da sociedade atual.
¬Debate a possibilidade das redes constituírem um modo inovador de construção da coesão e da solidariedade social.
¬Analisa os sentidos múltiplos das organizações em rede no terreno das políticas e da práticas sociais.
¬Compreende e caracteriza a trajetória de uma rede social em contexto, conhecendo-¬a do ponto de vista conceptual e de intervenção.
¬Sabe integrar os conhecimentos adquiridos na UC nos contextos profissionais da Animação Sociocultural.

Conteúdos programáticos

1. Nos primórdios do conceito de rede
Dinâmica de Grupo
Grupos de Encontro
O estudo das interações no seio dos grupos
O teste sociométrico e a construção e interpretação dos sociograma(s)
Os sociogramas como ponto de partida para a intervenção junto dos grupos
O estudo das interações no seio dos grupos
As terapias expressivas de grupo
O sociodrama e o Teatro do Oprimido

2. As tipologias das redes: diferenças de abordagem e relações
As redes pessoais – sistemas e círculos de interação das pessoas
As redes sociais – dos primórdios do uso do conceito ao uso atual
Redes e construção de identidades grupais
Redes e construção de comunidades de prática
As redes políticas – a influência dos grupos sociais na construção das políticas

3.Redes e coesão Social
As práticas comunitárias de solidariedade social
As políticas desenhadas com base nas redes sociais de coesão e solidariedade social – o caso das redes sociais das autarquias
Intervenção em rede nos grupos e nas comunidades
Intervenção em rede: causas sociais e culturais


Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da UC

Com esta UC pretende-se que os estudantes aprofundem conceitos relativos ao conhecimento e à gestão de grupos humanos, importantes num curso desta natureza. Este assunto, embora previamente abordado na UC Relações Interpessoais, é aqui retomado com outras técnicas de estudo e de intervenção com as quais os estudantes não tiveram contacto. São trabalhadas as relações interpessoais, considerando-as na sua dimensão atual, isto é, num mundo de múltiplas e diversificadas formas de conexões, algumas delas especialmente interessantes para se analisar as potencialidades da sociedade civil em termos de coesão e solidariedade social. A área das redes sociais é aqui trabalhada conceptualmente e de um ponto de vista multidimensional, aprofundando-se, contudo, as dimensões de âmbito social mais significativas para a futura profissão, designadamente as redes sociais no âmbito das autarquias.

Metodologias de ensino

¬Discussão em plenário e/ou pequenos grupos a partir da informação fornecida directamente pelo professor ou com recurso à utilização de textos e outros materiais;
¬Elaboração e interpretação de sociogramas e análise das possibilidades de intervenção;
¬Visionamento de documentos audiovisuais relevantes;
¬Recolha de informação e análise crítica sobre uma rede de coesão e solidariedade social¬ seus objetivos e dinâmicas de trabalho;
¬Seminários, visitas e workshops com especialistas: terapias e desenvolvimento interpessoal em grupo, experiências de trabalho em redes sociais de coesão e solidariedade social.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da UC

A metodologia permite que os alunos se apropriem dos conceitos teóricos – propostos através da exposição do docente, da leitura e debate de alguns textos de referência, bem como da experimentação vivencial de algumas técnicas e métodos de intervenção sociocultural em rede. Propõe-se ainda a contextualização concetual na área profissional do curso através de trabalhos práticos: aplicação de um teste sociométrico e respetiva análise e proposta de intervenção; pesquisa empírica de uma rede social cujo objetivo seja a coesão e bem estar social. Os trabalhos são propostos aos estudantes à medida que o programa se vai desenvolvendo, permitindo assim que a avaliação se vá construindo em torno desses produtos que são na íntegra partilhados e discutidos na turma.

Metodologia e provas de avaliação

1.Participação nas Aulas - 25%

2.Trabalho de Grupo - 40%

3.Recensão Crítica - 35%

Regime de assiduidade

75% de presenças para estudantes, 50% para trabalhadores estudantes.

Bibliografia

Boal, A. Jogos para Atores e Não Atores. São Paulo: Civilização Brasileira.
Canário, R. A escola, o local e a construção de redes de inovação (1996). In: Campos, B. (Org.). Investigação e inovação para a qualidade das escolas. Lisboa: IIE, 31-58
Castells, M. Redes de Indignação e Esperança: Movimentos Sociais na Era da Internet. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.
Ferreira, I. (2004). Uma análise crítica das políticas de parceria: A metáfora da rede. Actas dos ateliers do V Congresso Português de Sociologia.
Fox, J. (2002). O essencial de Moreno. S.Paulo: Ágora.
Monteiro, A. e Ribeiro, F. (2008). Redes Sociais: Experiências Políticas e Perspectivas. Edições Húmus.
Pavez, T. Acção Pública e Transformação de vínculos sociais em uma comunidade segregada. S. Paulo, Brasil: Comunicação apresentada ao 5º Encontro de ABCP.
Northway, M. , Lindsay, W. (1999). Testes Sociométricos. Lisboa: Livros Horizonte
Lemieux, V. (2008). Análise estrutural das redes sociais. Lisboa: Edições Instituto Piaget
Portugal, Sílvia (2006). As coisas, os modos e os laços: O papel das redes informais na provisão de recursos, in Actas dos ateliers do Vº Congresso Português de Sociologia - Sociedades Contemporâneas: Reflexividade e Acção.
Rogers, C. (2002) Grupos de Encontro. São Paulo: Martins Fontes
4276 DIÁRIO DA REPÚBLICA—I SÉRIE-A N.o 114—14 de Junho de 2006

Opções
Página gerada em: 2024-06-13 às 02:27:55 Última actualização: 2010-07-19