This Page in English  

Saltar para: Menu Principal, Conteúdo, Opções, Login.

Ajuda Contextual  
home
Início > Cursos > Disciplinas > MPE10016
Menu Principal
Autenticação





Esqueceu a sua senha de acesso?

Fundamentos da Ação Pedagógica

Informações

    As horas de Tutoria ocorrem em horário a estabelecer com o(s) docente(s) da UC.


Ano letivo: 2023/2024 - A

Código: MPE10016    Sigla: FAP
Áreas Científicas: Área Educacional Geral
Secção/Departamento: Ciências Sociais e Pedagogia

Cursos

Sigla Nº de Estudantes Plano de Estudos Ano Curricular ECTS Horas Contacto Horas Totais
MPE 25 Plano de Estudos_15_16 5,0 60 135,0

Nº de semanas letivas: 30

Responsável

DocenteResponsabilidade
Elisabete Maria Xavier Vieira GomesResponsável

Carga horária

Horas/semana T TP P PL L TC E OT OT/PL TPL O S
Tipologia de aulas

Corpo docente

Tipo Docente Turmas Horas
Horas de Contacto Totais 1 2,00
Gina Lemos   1,60
Isaura Pedro   0,40

Língua de Ensino

Português

Objetivos de aprendizagem (conhecimentos, aptidões e competências a desenvolver pelos estudantes)

No final desta UC, o/a estudante será capaz de:
(1) Identificar e analisar os fundamentos e os princípios orientadores da pedagogia para a infância, que constituem uma base comum para o desenvolvimento da ação pedagógica em creche e em jardim de infância;
(2) Identificar e analisar conceções e valores que permitem atribuir sentido à ação pedagógica;
(3) Identificar, analisar e potenciar uma organização do ambiente de educação de infância inclusiva de qualidade;
(4) Desenvolver um conjunto de atitudes, conhecimentos e competências que permitam uma prática pedagógica intencional, fundamentada, criteriosa e circunstanciada.

Conteúdos programáticos

1. Os fundamentos e os princípios da pedagogia para a infância
1.1. Os direitos da criança
1.2. A ética profissional na educação de infância
1.3. A imagem de criança e o processo educativo
1.4. O educuidar

2. A intencionalidade educativa
2.1. A escuta e a pedagogia da escuta
2.2. O planeamento e a imprevisibilidade
2.3. O sentido de tempo da criança
2.4. A observação, a documentação e a interpretação
2.5. A participação e o envolvimento das famílias nos contextos de educação de infância
2.6. O erro, o feedback e a aprendizagem

3. A organização do ambiente de educação de infância inclusiva
3.1. O poder do brincar
3.2. A atmosfera geral de acolhimento
3.3. O ambiente social inclusivo
3.4. A abordagem centrada na criança
3.5. O ambiente físico adaptado à criança
3.6. Os materiais para todas as crianças
3.7. As oportunidades de comunicação para todas as crianças
3.8. O ambiente de ensino e aprendizagem inclusivo
3.9. O ambiente favorável à família


Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da UC

Os conteúdos programáticos desta UC centram-se em três tópicos principais, alinhados com os objetivos de aprendizagem definidos como essenciais ao/à futuro/a educador/a de infância. O primeiro objetivo – Identificar e analisar os fundamentos e os princípios orientadores da pedagogia para a infância, que constituem uma base comum para o desenvolvimento da ação pedagógica em creche e em jardim de infância – será trabalhado sobretudo no primeiro tópico, dedicado aos fundamentos e aos princípios da pedagogia para a infância. O segundo objetivo – Identificar e analisar conceções e valores que permitem atribuir sentido à ação pedagógica – será trabalhado essencialmente no segundo tópico, focado na intencionalidade educativa. Os terceiro e quarto objetivos – identificar, analisar e potenciar uma organização do ambiente de educação pré-escolar inclusiva de qualidade, e desenvolver um conjunto de atitudes, conhecimentos e competências que permitam uma prática pedagógica intencional, fundamentada, criteriosa e circunstanciada – ainda que possam estar mais explicitamente associados ao terceiro tópico, centrado na organização do ambiente de educação de infância inclusiva, são trabalhados ao longo dos três tópicos estruturantes da UC.

Metodologias de ensino

As aulas desta UC organizam-se em torno de quatro tipologias: ensino teórico-prático, orientação tutorial, ensino teórico e trabalho de campo.
No ensino teórico-prático é privilegiado o recurso a metodologias ativas e a técnicas pedagógicas como simulação, jogo de papéis, estudo de caso, tempestade de ideias, dinâmicas de grupo, aliadas a grupos de discussão entre estudantes e docente.
Na orientação tutorial, o acompanhamento desenvolvido pela docente, individual e/ou em grupo, presencial e a distância, tem como finalidade apoiar e orientar os/as estudantes, esclarecer questões e dúvidas, prestar aconselhamento e informações, monitorizar o percurso formativo e propor melhorias no processo de aprendizagem.
No ensino teórico aposta-se na apresentação de conteúdo em estreito diálogo com os/as estudantes, que são incitados/as a participar, comentar, exemplificar e responder a questões levantadas pela docente no âmbito do conteúdo em exploração.
No trabalho de campo, os/as estudantes registam situações e episódios experienciados em estágio, que são objeto de análise crítica, em contexto de sala de aula, em roda de conversa dinamizada pela docente.

Metodologia e provas de avaliação

De modo a obter a aprovação nesta UC, os/as estudantes podem escolher entre a modalidade de avaliação contínua ou de exame final. Na primeira quinzena de aulas, cada estudante é responsável por comunicar à docente por que modalidade de avaliação opta. Caso escolha o exame final pode, tal como os/as restantes estudantes, acompanhar as atividades realizadas pela página da UC na plataforma Moodle.
A avaliação contínua prevê a realização de um relatório, desenvolvido individualmente ao longo do ano, e entregue em dois momentos: no final do primeiro semestre, a versão preliminar; e no final do segundo semestre, a versão final. No início do ano letivo, os/as estudantes conhecem o Guia para a elaboração do relatório, onde são explicitados os seus objetivos pedagógicos, as etapas fundamentais em que se estrutura, os documentos de base, e a respetiva grelha de análise. Os critérios de avaliação do relatório são cinco: 1. Sistematização do contributo; 2. Análise das situações concretas; 3. Autoapreciação da sua prática pedagógica; 4. Integração de leituras de aprofundamento; e 5. Clareza da informação e qualidade do Português. A classificação final é atribuída no final do segundo semestre e considera o trabalho desenvolvido ao longo de todo o ano e seus progressos, tornados manifestos no relatório final.

Regime de assiduidade

O limite mínimo de assiduidade do regime de avaliação contínua é de 75% de presenças.

Bibliografia

Agência Europeia para as Necessidades Especiais e a Educação Inclusiva (2017). Instrumento de autoreflexão para um ambiente de educação pré-escolar inclusiva. AENEEI.
Associação de Profissionais de Educação de Infância (2011). Carta de princípios para uma ética profissional. APEI.
Brito, A. T. (2018). Modelo Touchpoints e educação de infância – Reconheça o que traz para a interação. Cadernos de Educação de Infância, 114, 6-10.
Cardona, M. (Coord.) (2021). Planear e avaliar na educação pré-escolar. Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação (DGE).
Decreto-Lei nº 54/2018, 6 de julho. Diário da República n.º 129/2018, Série I, 2918-2928. https://diariodarepublica.pt/dr/detalhe/decreto-lei/54-2018-115652961
Dulčić, F. J. L., Peña, R. N. A., Orellana, P. E. S., & Jofré, D. A. C. (2021). Do instructions overwhelm the preschool classroom? Early childhood educators’ use of instructional vs regulative directive commands. Suvremena lingvistika, 92(6), 247-265. https://doi.org/10.22210/suvlin.2021.092.06
Edwards, C., Gandini, L., & Forman, G. (Org.) (2016). As cem linguagens da criança - A experiência de Reggio Emilia em transformação. (Vol. 2). Penso.
Gabas, C., Cutler, L., & Schachter, R. E. (2022). Making mistakes: Children's errors as opportunities for emergent literacy learning in early childhood. The Reading Teacher, 76(6), 664-672. https://doi.org/10.1002/trtr.2171
Hoyuelos, A. (2021). A ética no pensamento e na obra pedagógica de Loris Malaguzzi. Phorte Editora.
Hoyuelos, A. (2020). A estética no pensamento e na obra pedagógica de Loris Malaguzzi. Phorte Editora.
Malaguzzi, L. (2022). As cem linguagens das crianças: A exposição. Associação de Profissionais de Educação de Infância e Reggio Children.
Malaguzzi, L. (1993, June). Your image of the child: Where teaching begins. Seminar presented in Reggio Emilia, Italy. https://www.reggioalliance.org/downloads/malaguzzi:ccie:1994.pdf
Mata, L., Pedro, I. (2021). Participação e envolvimento das famílias – Construção de parcerias em contextos de educação de infância. Ministério da Educação/Direção-Geral da Educação (DGE).
Mata, L., Pacheco, P., Brito, A. T., Pereira, M., & Cabral, S. (2022). Envolvimento das famílias no processo educativo: Perspetiva de futuros profissionais. Revista Portuguesa de Educação, 35(2), 263–290. https://doi.org/10.21814/rpe.24634
Neto, C. (2020). Libertem as crianças – A urgência de brincar e ser ativo. Contraponto.
Parreira, A. C., & Correia, I. (2022). Educuidar na educação de infância: Narrativas dos sentidos e vivências da prática de ensino supervisionada. Medi@ções, 10(1), 8–21. https://doi.org/10.60546/mo.v10i1.343
Pereira, M., Brito, A. T., & Mata, L. (2022). O sentido do tempo das crianças nos contextos de educação de infância. Medi@ções, 10(1), 132-142. https://doi.org/10.60546/mo.v10i1.333
Project Zero Reggio Children (2014). Tornando visível a aprendizagem. Crianças que aprendem individualmente e em grupo. Phorte Editora.
Silva, I. L. (Coord.) (2016). Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar (OCEPE). Ministério da Educação/ Direção-Geral da Educação (DGE).
UNICEF (1990). A convenção sobre os direitos da criança. UNICEF.
Vecchi, V. (2017). Arte e criatividade em Reggio Emilia: Explorando o papel e a potencialidade do ateliê na educação da primeira infância. Phorte Editora.
Wiggins, G. (2012). Feedback for learning: Seven keys to effective feedback. Educational Leadership, 70(1), 10-16.
Yogman, M., Garner, A., Hutchinson, J., Hirsh-Pasek, K., & Golinkoff, R. M., (2018). The power of play: A Pediatric role in enhancing development in young children. Pediatrics, 142(3), e20182058. https://doi.org/10.1542/peds.2018-2058

A docente disponibiliza na página da UC na plataforma Moodle os recursos que servem de apoio às aulas, incluindo referências bibliográficas complementares, que se considerarem pertinentes e oportunas.

Opções
Página gerada em: 2024-06-25 às 12:27:47 Última actualização: 2010-07-19