This Page in English  

Saltar para: Menu Principal, Conteúdo, Opções, Login.

Ajuda Contextual  
home
Início > Cursos > Disciplinas > DN12
Menu Principal
Autenticação





Esqueceu a sua senha de acesso?
Mapa da ESE Setúbal
Mapa interactivo do campus. Clique num determinado edifício.

Prevenção e Gestão do Risco em Desportos de Natureza

Informações

    As horas de Tutoria ocorrem em horário a estabelecer com o(s) docente(s) da UC.


Ano letivo: 2021/2022 - 2S

Código: DN12    Sigla: PGRDN
Áreas Científicas: Desporto
Secção/Departamento: Ciências e Tecnologias

Cursos

Sigla Nº de Estudantes Plano de Estudos Ano Curricular ECTS Horas Contacto Horas Totais
TSPDN 30 Plano de estudos 2016_17 5,0 45 135,0

Nº de semanas letivas: 15

Responsável

DocenteResponsabilidade
Mário André da Cunha EspadaResponsável

Carga horária

Horas/semana T TP P PL L TC E OT OT/PL TPL O S
Tipologia de aulas

Corpo docente

Tipo Docente Turmas Horas
Horas de Contacto Totais 1 4,00
David Luis Sarmento Gonçalves   3,00

Língua de Ensino

Português

Objetivos de aprendizagem (conhecimentos, aptidões e competências a desenvolver pelos estudantes)

a. Compreender a importância e pertinência da avaliação, prevenção e gestão do risco em desportos de natureza.
b. Compreender os conceitos básicos associados à gestão do risco bem como a relação que se estabelece entre os mesmos, aplicando a terminologia padrão adotada em Portugal.
c. Conhecer e aplicar adequadas metodologias e técnicas de avaliação, prevenção e gestão do risco em desportos de natureza, de acordo com as normas internacionais e nacionais.
d. Interpretar a lesão desportiva como acidente, conhecer fatores de risco intrínsecos e extrínsecos das lesões e as lesões típicas em desportos de natureza.
e. Saber selecionar e avaliar procedimentos e alternativas para a minimização do risco numa perspetiva preventiva.

Conteúdos programáticos

1. Prevenção e Gestão do Risco em Desportos de Natureza
a. Conceitos fundamentais, terminologia portuguesa e relevância de tratamento do risco em Desportos de Natureza.
b. História breve da gestão do risco em Desportos de Natureza.
c. Normas ISO internacionais. Adaptação das normas portuguesas IQN. Legislação, regulamentos e referenciais de boas práticas.
d. Processos e fases na avaliação e gestão do risco.
e. Risco real e risco percebido. Comunicação e aceitação do risco. Implicações legais.

2. Lesões desportivas em contexto de Desportos de Natureza
a. Sua definição e etiologia. Avaliação dos fatores de risco. Lesões associadas às várias modalidades desportivas e aspetos preventivos.
b. Definição da lesão muscular em função da sua tipologia. Causas e fatores predisponentes à lesão. Sintomatologia e medidas terapêuticas.
c. Lesões músculo-tendinosas.
d. Gesto desportivo como agente causal das lesões.
e. Modos de avaliação da situação e da pessoa (vítima).
f. Os primeiros socorros em contextos dos desportos de natureza.


Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da UC

Os conteúdos programáticos refletem uma estrutura teórica, que enquadra, ensaia e promove a prevenção e gestão do risco em desportos que utilizam a natureza como palco das suas realizações.

Metodologias de ensino

A disciplina é semestral e a organização dos conteúdos programáticos assenta em duas partes: uma parte destinada a estudos teóricos e uma outra parte destinada à aplicação da teoria.  

Para os estudos práticos/aplicados os métodos de trabalho são diversificados e em função dos objetivos de cada aula. Os mais frequentemente realizados, pelos/as estudantes, são a apresentação de temas, os painéis de discussão, o trabalho individual e/ou de pequeno grupo, a elaboração de fichas de síntese e de reflexão sobre a teoria, o trabalho no terreno e o trabalho de projeto.  

A avaliação é contínua e os/as estudantes nela integrados estão sujeitos, no decorrer do processo, à realização de pequenos trabalhos práticos de reflexão e/ou de aprofundamento do estudo realizado, bem como a situações pontuais de questionamento. A assiduidade é um fator a ter em conta no processo da avaliação contínua, na ordem dos 80% de presenças.  

Covid-19
A assiduidade não será contabilizada para o processo de avaliação, tal como, a aplicação da teoria na prática, através de trabalho no terreno e o trabalho de projeto.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da UC

Dá-se especial importância às metodologias interativas, o ensino pela descoberta, envolvendo os/as estudantes no processo de ensino-aprendizagem, centrado numa abordagem dos conceitos teóricos referenciados pela investigação científica e sua aplicação às situações práticas.

Metodologia e provas de avaliação

A avaliação da UC “ Prevenção e Gestão do Risco em Desportos de Natureza” assenta no regime de avaliação contínua, que se consubstancia em momentos de processo e de produto. Constituem valências da avaliação contínua: 

Ao nível do processo
- Exercícios de aplicação realizados nas aulas, trabalhos práticos individuais e/ou em grupo – 40% 

Ao nível do produto
- Um teste escrito – 60% 

Para efeitos de atribuição da classificação final, poderá o docente estipular, se achar necessário para uma melhor clarificação do processo de avaliação, a discussão oral de qualquer uma das produções desenvolvidas pelos/as estudantes. 

Covid-19
O teste escrito será adaptado às circunstâncias, utilizando plataformas digitais à distância.

Regime de assiduidade

Regime de assiduidade: 

a) Esteja presente em 80% das aulas e participe na discussão das questões em análise, bem como na realização dos trabalhos propostos. 

b) Leia a bibliografia de apoio e esteja preparado para analisar e discutir os temas apresentados. 

c) Realize as tarefas e os trabalhos programados, evidenciando com clareza e rigor a apropriação dos conhecimentos sobre a matéria.

Covid-19
O regime de assiduidade estará suspenso durante a realização do Ensino à Distância, não sendo contabilizado para a avaliação.

Componentes de Avaliação e Ocupação registadas

Descrição Tipo Tempo (horas) Data de Conclusão
Participação presencial (estimativa)  Aulas  0
  Total: 0

Observações

Os estudantes com estatutos especiais, que não possam estar presentes nas sessões previstas, devem dar conhecimento deste estatuto ao docente nos primeiros quinze dias de aulas, sendo definido um plano de trabalho a desenvolver e critérios de avaliação adaptados, em função das possibilidades e condições particulares de frequência dos alunos implicados, de forma a permitir o acompanhamento de aulas e a respetiva avaliação contínua. 

Opções
Últimas Notícias
Atualização do Plano de Contigência COVID-19 ESE/IPS
Seminário | Carteira de Competências
Eleições Conselho Técnico-Científico ESE/IPS 2022|2025
Eleições Conselho de Representantes ESE/IPS 2022/2025
Provas públicas para apreciação do relatório do projeto de investigação
Página gerada em: 2021-12-06 às 08:16:43 Última actualização: 2010-07-19