This Page in English  

Saltar para: Menu Principal, Conteúdo, Opções, Login.

Ajuda Contextual  
home
Início > Cursos > Disciplinas > LAIS104
Menu Principal
Autenticação





Esqueceu a sua senha de acesso?
Mapa da ESE Setúbal
Mapa interactivo do campus. Clique num determinado edifício.

Sociologia Geral

Informações

    As horas de Tutoria ocorrem em horário a estabelecer com o(s) docente(s) da UC.


Ano letivo: 2020/2021 - 1S

Código: LAIS104    Sigla: SG
Áreas Científicas: Ciências Sociais
Secção/Departamento: Ciências Sociais e Pedagogia

Cursos

Sigla Nº de Estudantes Plano de Estudos Ano Curricular ECTS Horas Contacto Horas Totais
ANIM 45 Plano de Estudos - 2014 5,0 65 135,0

Nº de semanas letivas: 15

Responsável

DocenteResponsabilidade
Fernando Miguel de Matos Vasconcelos AlmeidaResponsável

Carga horária

Horas/semana T TP P PL L TC E OT OT/PL TPL O S
Tipologia de aulas

Corpo docente

Tipo Docente Turmas Horas
Horas de Contacto Totais 1 4,00
Cristina Roldão   4,00

Língua de Ensino

Português

Objetivos de aprendizagem (conhecimentos, aptidões e competências a desenvolver pelos estudantes)

Dominar princípios e conceitos sociológicos básicos, enquanto instrumentos de uma abordagem dos fenómenos sociais
Compreender a complexidade dos processos que regem a vida das sociedades, comunidades e grupos e as características das sociedades atuais como contextos de mudança e de permanência
Identificar e compreender os principais processos sociais de construção das especificidades culturais e de globalização do mundo atual
Dominar uma metodologia para pensar o social e analisar aspetos fundamentais da vida coletiva nas sociedades contemporâneas
Evidenciar capacidades de observação e de reflexão crítica sobre a realidade social
Posicionar-se perante os grandes temas/ problemas do mundo contemporâneo
Fomentar a compreensão e atitudes de tolerância face às diferenças culturais e sociais

Conteúdos programáticos

1ª Parte
1. O que é e para que serve a Sociologia?
A sociologia no contexto das Ciências Sociais.
As Ciências Sociais e os obstáculos ao conhecimento: naturalização dos factos sociais, senso comum e ideologias.
Os procedimentos científicos na investigação sociológica.
2. Porque é que somos iguais e diferentes?
Os processos e agentes de socialização: A construção e transmissão de normas, valores e regras socialmente construídas e partilhadas
Padrões de cultura, produção das identidades e etnocentrismo cultural.
3. Porque é que há ricos e pobres?
Da divisão técnica do trabalho à divisão social do trabalho.
Atributos herdados e atributos adquiridos.
Dimensões de estratificação social: critérios económicos, religiosos, políticos e socioprofissionais
Estrutura social e lugares de classe.
Mobilidade social: Trajetórias e destinos individuais
4. Como é que as sociedades mudam?
“Normalidade” e desvio: a evolução dos costumes
Urbanização e industrialização: Recursos, População humana e Migrações
A construção dos espaços urbano e rural: Os novos estilos de vida
Famílias ou família?
Colonização, desenvolvimento e subdesenvolvimento
Crescimento, desenvolvimento e ambiente natural
Democracia e cidadania
O que é a Globalização?


Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da UC

Os conteúdos programáticos, divididos em quatro grandes blocos, organizam o trabalho em torno dos principais conceitos e metodologias da disciplina, permitindo o confronto sistemático entre quadros teóricos, análise empírica e estratégias de intervenção. É justamente pela natureza contingente dos fenómenos sociais, histórica portanto, que esta articulação entre os conteúdos programáticos e os objetivos de aprendizagem apresenta uma natureza iterativa, em que os instrumentos teóricos são sucessivamente trabalhados em diferentes escalas de análise e em função de diferentes problemas de investigação e intervenção. Este processo visa, em primeiro lugar, desenvolver a capacidade de mobilização crítica dos instrumentos teóricos, possível apenas, reitere-se, pelo confronto sistemático com diferentes contextos de observação e intervenção. Esse conhecimento é enriquecido pela comparação sistemática com aquilo que se observa noutros espaços nacionais e noutros contextos históricos, permitindo compreender com maior clareza a diversidade e a complexidade dos processos de mudança nas sociedades contemporâneas e desenvolver a dimensão crítica da imaginação sociológica.

Metodologias de ensino

A maioria das sessões será centrada na discussão, em grande ou pequeno grupo, a partir da informação fornecida diretamente pelo professor ou com recurso à utilização de textos e outros materiais. Este processo compreenderá a:
(a) Exposição das temáticas previstas no programa pelo docente;
(b) Discussão e análise de textos e de outros materiais propostos pelo docente;
(c) Apresentação e discussão de trabalhos realizados em grupo sobre temáticas escolhidas e trabalhadas previamente;
Serão ainda implementadas sessões de acompanhamento tutorial dos alunos, em pequenos grupos, conforme as necessidades emergentes, em horário a combinar.
A utilização da plataforma Moodle em situações de debate (fórum) ou como instrumento de apresentação/ proposta de pequenos exercícios de reflexão é outras das formas de desenvolvimento e/ou de complementar as aprendizagens realizadas na aula e/ou nas propostas formais de trabalho (avaliação) prevista para a disciplina.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da UC

O equilíbrio entre as sessões teóricas e práticas é fundamental na articulação entre as metodologias de ensino a utilizar com os objetivos de aprendizagem pretendidos na unidade curricular. Nas sessões teóricas, em que a intervenção do docente será de natureza mais expositiva, caberá, sobretudo, a apresentação dos quadros teóricos de base da sociologia e a forma como a disciplina conceptualiza e organiza a morfologia das sociedades contemporânea. Nestas sessões, cada um dos temas a serem discutidos serão apresentados pelo docente de forma sistemática e organizada de modo a permitir um mapeamento conciso do campo conceptual em causa e uma exposição clara dos processos históricos e sociais em análise. Nestas sessões teóricas espera-se, não obstante, um trabalho contínuo de participação dos alunos, nomeadamente pelo comentário dos textos em que cada sessão se apoia. Nas sessões práticas os objetivos focam-se não tanto na aquisição de conceitos e conhecimentos, mas, sobretudo, no desenvolvimento de competências de interpretação crítica dos processos sociais. Para concretizar esse propósito, as sessões práticas orientam-se para a análise de estudos de caso que permitam operacionalizar criativamente os conceitos adquiridos nas sessões teóricas. Estas sessões contarão com materiais de apoio bibliográficos, mas também audiovisuais, de forma a diversificar o conjunto de fontes empíricas. Estas sessões serão também marcadas pela exploração, individual e em grupo, de técnicas de pesquisa, com vista a criar ferramentas que permitam desenvolver capacidade de investigação e de resolução de problemas. O sistema de avaliação, multiplicando e diversificando os produtos a serem apresentados e os respetivos momentos, permitirá ao docente monitorizar a evolução discente ao longo da unidade curricular e apoiar os alunos nas dificuldades encontradas.

Metodologia e provas de avaliação

A avaliação realizar-se-á de acordo com as atividades propostas e os princípios expressos no programa.
Assim, a classificação final de cada aluno terá como base o seu desempenho nos trabalhos em grupo ou individuais previstos e de acordo com o seguinte:
- Recensão crítica individual 35% para a classificação final;
- O trabalho de grupo com 50%
- A participação nas atividades letivas com 15%, o que supõe a presença regular dos estudantes nas atividades letivas.

Regime de assiduidade

Ver acima em "Metodologia e provas de avaliação"

Bibliografia

ALMEIDA, João F. (et al) - Exclusão social: Factores e formas da pobreza em Portugal. Oeiras: Celta Editora, 1994.
BARRETO, António (org.) - A situação social em Portugal, 1960-1995. Lisboa: ICS, 1996. 510 p. ISBN 972-671-043-X.
BELL, J. (2004). Como realizar um projecto de investigação, Lisboa: Gradiva.
CABRAL, Manuel Villaverde e PAIS, José Machado (Coord) - Jovens portugueses de hoje. Lisboa: SEJ / Celta, 1998.
CAMPENHOUDT, L.V. (2003). Introdução à Análise dos Fenómenos Sociais, Lisboa: Gradiva.
CORREIA, Francisco Nunes – “Ambientes e Ambientalismos”. Portugal Hoje. Lisboa: INA, 1995. p.127-159.
COSTA, A. (1992). O que é: Sociologia. Lisboa: Difusão Cultural.
COSTA, Alfredo Bruto - Exclusões Sociais. Lisboa: Gradiva, 1998. 99 p. ISBN 972-662-612-9.
COSTA, António Firmino - O que é: Sociologia. Lisboa: Difusão Cultural, 1992. 120 p. ISBN 972-709-155-5.
CRESPI, Franco - Manual de Sociologia da Cultura. Lisboa: Editorial Estampa, 1997. 279 p. ISBN 972-33-1313-8.
ESTANQUE, Elísio e MENDES, José Manuel - Classes e desigualdades sociais em portugal. Oeiras: Celta Editora, 1998. 265 p. ISBN 972-36-0440-X,
FORACHI, M. e MARTINS, J. (1981). Sociologia e Sociedade. Rio de Janeiro, Liv. Tecn. e Científicos
GIDDENS, Anthony - Sociologia. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1997. 944 p. ISBN 972-31-0758-9.
JACKSON, A. John - Migrações. Lisboa: Escher, 1991.
KELLERHALS, Jean, TROUTOT, Pierre-Yves e LAZEGA, Emmanuel - Microssociologia da família. Lisboa: Publicações Europa América, 1989. 130 p. ISBN 972-1-02724-3
LANDES, David S. - A riqueza e a pobreza das nações. 6ª edição, Lisboa: Gradiva, 2002. 758 p. ISBN 972-662-804-0.
MATTOSO, José - A Identidade nacional. Lisboa: Gradiva, 1998. 109 p. ISBN 972-662-604-8.
MOLÉNAT, X. (2011). Sociologia – História, Ideias, Correntes. Lisboa: Ed. Texto & Grafia.
NUNES, Adérito S. - Questões preliminares sobre as Ciências Sociais. Lisboa: Editorial Presença / GIS, 1977. 159 p.
NUNES, Adérito S., Sobre o problema do conhecimento nas Ciências Sociais, 5ªEdição, 1977, Lisboa: GIS/Edit. Presença, 1981 76 p..
PAIS, José Machado - Traços e riscos de vida - Uma aproximação qualitativa e modos de vida juvenis. Porto: Ambar, 1999.
PEIXOTO, João – “O elogio da cidade”. Revista crítica de Ciências Sociais. Coimbra: (nº30), 1990. (Junho), p.p. 97-112.
RÉMY, Jean e VOYÉ, Lilliane - A cidade: Rumo a uma nova definição? Porto: Afrontamento, 1994. 167 p. ISBN 972-36-0331-4.
SALGUEIRO, Teresa Barata - A cidade em Portugal: Uma geografia urbana. Porto: Afrontamento, 1992. 434 p. ISBN 972-36-0202-4.
SANTOS, Boaventura Sousa - A cor do tempo quando foge. Afrontamento,
SANTOS, Boaventura Sousa - Reinventar a Democracia. Lisboa: Gradiva,
SILVA, Mário, et al, (org) - O que é a raça? Um debate entre a Antropologia e a Biologia. Lisboa: OIKOS, 1998. 120 p. ISBN 972-8846-00-4.
WIEVIORKA, Michel - Racismo e modernidade. Bertrand Editora, 1995. 373 p.
YEARLEY, Steven, A causa verde: uma Sociologia das questões ecológicas, Oeiras: Celta Editora, 196 p.

Opções
Últimas Notícias
Aula aberta | "As TIC no 1.º Ciclo? Para quê?"
Horários 2º semestre 2020/21
Investigação, construção de conhecimento e práticas profissionais
Página gerada em: 2021-03-04 às 11:45:01 Última actualização: 2010-07-19