This Page in English  

Saltar para: Menu Principal, Conteúdo, Opções, Login.

Ajuda Contextual  
home
Início > Cursos > Disciplinas > LGP30001
Menu Principal
Autenticação





Esqueceu a sua senha de acesso?
Mapa da ESE Setúbal
Mapa interactivo do campus. Clique num determinado edifício.

Carteira de Competências

Informações

    As horas de Tutoria ocorrem em horário a estabelecer com o(s) docente(s) da UC.


Ano letivo: 2021/2022 - A

Código: LGP30001    Sigla: CC
Áreas Científicas: Línguas e Literatura
Secção/Departamento: Ciências da Comunicação e da Linguagem

Cursos

Sigla Nº de Estudantes Plano de Estudos Ano Curricular ECTS Horas Contacto Horas Totais
LGP 20 Plano de Estudos 5,0 60 135,0

Nº de semanas letivas: 15

Responsável

DocenteResponsabilidade
Maria José Duarte FreireResponsável

Carga horária

Horas/semana T TP P PL L TC E OT OT/PL TPL O S
Tipologia de aulas

Corpo docente

Tipo Docente Turmas Horas
Horas de Contacto Totais 1 2,00
Ana Maria Pessoa   0,70

Língua de Ensino

Português

Objetivos de aprendizagem (conhecimentos, aptidões e competências a desenvolver pelos estudantes)

A ESE de Setúbal, apostando na necessidade de proporcionar aos/às estudantes situações de aprendizagem autónomas e complementares ao currículo académico formal, introduziu no plano de estudos dos diferentes cursos uma UC denominada “Carteira de Competências”. Esta funciona ao longo de todo o curso, permitindo creditar aprendizagens e competências adquiridas e/ou desenvolvidas pelos/as estudantes em situações e contextos não-lectivos, e é operacionalizada através de um sistema de tutorias que acompanha e apoia o percurso não lectivo do/a estudante.
Nesta UC o/a estudante, com o apoio do/a tutor/a da U.C., é incentivado/a a traçar, definir e construir, ao longo do curso, um percurso de aprendizagens autónomas, através da sua participação em atividades que decorram fora do calendário escolar formal. O resultado desse percurso será creditado em 5 ECTS.

Conteúdos programáticos

Esta UC tem como finalidade o reconhecimento formal de aprendizagens e de competências adquiridas e/ou desenvolvidas em diversos contextos e situações – de natureza técnica/científica/profissional/artística e social/cidadania – desde que reconhecidas como significativas, relevantes e pertinentes no âmbito das competências desejáveis para as diferentes licenciaturas ministradas na ESE.
Por ser uma UC cujo desenvolvimento se faz através de um percurso de aprendizagens e de aquisição de competências negociado entre os/as estudantes e os/as respectivos/as tutores/as, os seus conteúdos decorrem da natureza das próprias atividades, do nível em que se processa a inclusão do/a estudante e dos contextos em que as mesmas ocorrem.
A título de exemplo, apresenta-se contextos e atividades possíveis:
- Técnico/científico/profissional/artístico: participação/organização em/de atividades de âmbito diverso que permitam desenvolver e fortalecer aprendizagens nesses domínios (cursos, palestras, organização de eventos, visitas a museus, ....);
- Social/cidadania: participação/organização em/de atividades de âmbito diverso que permitam desenvolver e fortalecer aprendizagens nesses domínios (voluntariado, participação em associações, participação em intercâmbios nacionais e internacionais, participação em associações


Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da UC

Ao longo do seu percurso formativo, o/a estudante poderá selecionar e participar em alguns dos tipos de atividades apontados no ponto anterior de modo a enriquecer a sua formação e a desenvolver as suas competências nos domínios acima mencionados, tirando partido do conjunto de oportunidades formativas e de desenvolvimento que a própria sociedade proporciona, para além daquelas de natureza mais escolar que a ESE lhe oferece.

Metodologias de ensino

Os diferentes cursos da ESE de Setúbal (através dos/as seus/suas coordenadores/as em colaboração com os/as coordenadores/as de departamento) designam um/a docente como tutor/a de um grupo de, aproximadamente, 15 estudantes. Este/a tutor/a acompanha o/a estudante desde o seu ingresso na ESE, isto é, quando entra no 1º ano de um determinado curso, até que conclua a licenciatura.
Nota: Salvaguarda-se, contudo, a possibilidade de alteração ao princípio acima enunciado, em casos devidamente fundamentados pelos órgãos de gestão adequados.
Quando o ingresso se faz para um ano mais avançado, o/a tutor/a será, por princípio, um/a dos/as tutores/as designados/as para o curso/ ano em que o/a estudante ingressou. O mesmo acontece no caso de estudantes que não completem a UC no ano previsto. Quando voltarem a matricular-se na UC serão integrados num grupo de tutoria que corresponda ao ano que frequentam ou, no caso de terem apenas esta UC em atraso, num grupo de 3º ano.
O/a tutor/a designado/a acompanhará o/a estudante na UC Carteira de Competências. Será junto dele/a que este/a deverá recolher orientação sobre as atividades a desenvolver, os relatórios a elaborar, as competências a adquirir e/ou a desenvolver no âmbito desta UC. Será esse/a, o/a docente responsável pela avaliação e classificação obtida nesta UC.
O/A tutor/a valorizará as estratégias de auto-formação do/a estudante, motivando-o/a a procurar e desenvolver, fora do contexto lectivo, atividades significativas, relevantes e diversificadas, que lhe proporcionem um enriquecimento pessoal, social e profissional.
Os créditos serão atribuídos em função do número de horas do trabalho desenvolvido pelo/a estudante, considerando-se que as mesmas respondem aos critérios de pertinência anteriormente explicitados.
Assim, 1 crédito corresponderá (aproximadamente) a 27 h de trabalho do/a estudante, correspondendo um menor número de horas à respectiva proporção/fracção de créditos, (ex: 13 h 30m = 0,5 créditos).
A distribuição dos 5 créditos realizar-se-á ao longo dos diferentes anos do curso. Esta distribuição será negociada e ajustada entre o/a estudante e o/a respectivo/a tutor/a. Será desejável que se aproxime de uma das seguintes hipóteses:
Hip. A: 1+2+2= 5 Hip. B: 2+1+2=5 Hip. C: 2+2+1= 5
O plano de intervenção (natureza, atividades, calendarização) do/a estudante deverá ser negociado com o/a seu/ua tutor/a. Sempre que for julgado adequado, o/a estudante deverá apresentar ao/à tutor/a informação relevante sobre as suas motivações e o seu projeto formativo podendo para isso utilizar os instrumentos de inquirição e de recolha de informação que o/a tutor/a considere úteis.
A modalidade de trabalho predominante é a dos encontros com o/a tutor/a, que podem ser individuais ou de pequeno grupo. Contudo, em cada ano lectivo serão realizadas algumas reuniões de trabalho colectivas, com todo o grupo de tutorandos/as.
A título de exemplo e relativamente aos/às estudantes que frequentam o 1º ano do curso, essas reuniões podem ocorrer nos seguintes períodos:
1ª Sessão (inicial): Primeira quinzena de aulas – para integração dos/as estudantes e prestação de esclarecimentos / informações;
2ª e 3ª Sessões: Eventualmente em Janeiro e Abril - para esclarecimento de questões e dúvidas colocadas e regulação e apoio às atividades de aprendizagem.
Quando os/as estudantes já estão integrados/as, isto é, já frequentam o 2º ou 3º ano do curso, os momentos de reunião e os respectivos conteúdos serão ajustados a essa situação, e será dada prioridade aos contactos de pequeno grupo ou individualizados – para avaliação e orientação – que respondam aos percursos diferenciados já realizados por cada estudante.

Durante o período de isolamento, devido à pandemia de COVID-19, as aulas serão realizadas à distância (EaD) através do uso de meios eletrónicos e plataformas de comunicação online adequadas aos respetivos conteúdos da UC.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da UC

As aprendizagens pressupõem o envolvimento/participação do/a estudante em atividades concretas. Esse envolvimento deverá ser sempre previamente acordado com o/a tutor/a que valida a sua pertinência, perspectiva a sua integração no processo formativo do/a estudante e define a natureza dos produtos (relatórios de atividades, planificações, etc.) que deverão resultar da sua participação nas atividades e que serão posteriormente apresentados para apreciação.

Metodologia e provas de avaliação

Serão avaliadas e creditadas as aprendizagens que sejam consideradas significativas, relevantes e pertinentes no âmbito das diferentes licenciaturas, desde que estejam enquadradas na negociação realizada entre estudante e tutor/a.
As aprendizagens realizadas nesta unidade curricular deverão ser identificadas, explicitadas e organizadas pelo/a estudante num relatório e/ou portefólio individual, que irá integrar, progressivamente, os diferentes produtos da UC ao longo do curso, apresentando uma componente descritiva e uma componente reflexiva.
O “portfolio individual” (ou os produtos que progressivamente nele se vão integrando) será classificado em função da sua qualidade, fruto das negociações entre tutor/a e estudante, numa escala de 10 a 20 valores, fazendo-se o seu registo formal no final de cada ano lectivo. Um/uma estudante que não obtenha uma classificação superior a 10 valores num relatório referente a uma qualquer actividade realizada, não adquire nenhum crédito ou fracção do mesmo.
O prazo para entrega dos produtos realizados é definido, caso a caso, com o/a docente/ tutor/a. Esses produtos serão posteriormente objecto de análise e discussão com o/a docente tutor/a em sessão especificamente dedicada ao efeito.
Considerando que esta UC se desenrola ao longo do curso e que só terá uma Pauta de Avaliação no final do mesmo, será divulgada até Outubro, correspondente ao ano lectivo anterior, uma Pauta de Avaliação de Progresso. A mesma será preenchida pelo/a respectivo/a tutor/a e integra todos/as os/as estudantes que esse/a tutor/a acompanha. Nesta pauta provisória constarão os créditos obtidos (cuja fracção mínima é de 0,5) por cada estudante e a sua respectiva classificação.
Momentos de classificação
(i) Considerando que esta UC se desenrola ao longo do curso e que só terá uma Pauta de Avaliação no final do mesmo, será divulgada até Outubro, correspondente ao ano lectivo anterior, uma Pauta de Avaliação de Progresso. A mesma será preenchida pelo/a respectivo/a tutor/a e integra todos/as os/as estudantes que esse/a tutor/a acompanha. Nesta pauta provisória constarão os créditos obtidos (cuja fracção mínima é de 0,5) por cada estudante e a sua respectiva classificação.
O/As tutores/as deverão dar conhecimento desta pauta intermédia a:
- Estudantes;
- Coordenador/a de curso;
- Responsável geral da UC "Carteira de Competências" da ESE.
(ii) No 3º ano, quando o/a estudante terminar a UC, isto é, obtiver 5 créditos e uma determinada classificação, o/a tutor/a envia essa informação ao/à coordenador/a de curso que publicará, enviará a pauta e preencherá o livro de termos relativo à UC.
Exame
Considerando o tipo e a natureza desta UC, não haverá possibilidade de realizar exame. Pode, contudo, haver lugar a processos de melhoria de nota, por melhoria do Portfolio Individual através da:
(i) melhoria de alguns produtos já apresentados;
(ii) substituição de determinados produtos por outros de qualidade superior.
O/A estudante deverá explicitar a sua intenção de proceder a uma melhoria de nota e acordar com o/a docente/ tutor/a, caso a caso, o modo como ela se irá realizar.

COVID 19 - Consoante a duração do período de isolamento, e da forma como esta afetar a metodologia de avaliação da UC, serão propostas formas alternativas de avaliação, de acordo com as características da unidade curricular.

Regime de assiduidade

O sistema de tutorias permite um acompanhamento individualizado do/a estudante ao longo do seu percurso autónomo de aprendizagem, através da monitorização de aspectos considerados fundamentais para a prossecução dos objectivos:
(i) o alargamento dos contextos e situações em que o/a estudante se envolve;
(ii) o incentivo à reflexão sobre o percurso efectuado e as aprendizagens daí decorrentes;
(iii) a problematização da autonomia e das escolhas individuais como elementos pró-activos no processo formativo.

Bibliografia

Alves, Mariana (2010) Aprendizagem ao Longo da Vida e Políticas Educativas Europeias. Ed. UIED, FCT-UNL, Lisboa
Pires, Ana (2005) Educação e Formação ao Longo da Vida: um estudo dos
sistemas e dispositivos de reconhecimento e validação de competências.
FCT/Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa
Revista Mediações - Volume 2, nº 2 (2014) Educação Formal, Não-formal e Informal: transversalidades e inter-relações.
http://mediacoes.ese.ips.pt/index.php/mediacoesonline/issue/view/9
Para além das obras mencionadas e dada a natureza desta UC, sempre que necessário, será aconselhada/fornecida bibliografia suplementar por referência às temáticas trabalhadas e/ou interesses do/a estudante.

Opções
Últimas Notícias
Atualização do Plano de Contigência COVID-19 ESE/IPS
Seminário | Carteira de Competências
Eleições Conselho Técnico-Científico ESE/IPS 2022|2025
Eleições Conselho de Representantes ESE/IPS 2022/2025
Provas públicas para apreciação do relatório do projeto de investigação
Página gerada em: 2021-12-06 às 09:12:16 Última actualização: 2010-07-19