This Page in English  

Saltar para: Menu Principal, Conteúdo, Opções, Login.

Ajuda Contextual  
home
Início > Cursos > Disciplinas > MPE10021
Menu Principal
Autenticação





Esqueceu a sua senha de acesso?
Mapa da ESE Setúbal
Mapa interactivo do campus. Clique num determinado edifício.

Estágio em Educação de Infância I

Informações

    As horas de Tutoria ocorrem em horário a estabelecer com o(s) docente(s) da UC.


Ano letivo: 2019/2020 - 1S

Código: MPE10021    Sigla: EEI1
Áreas Científicas: Prática de Ensino Supervisionada
Secção/Departamento: Ciências Sociais e Pedagogia

Cursos

Sigla Nº de Estudantes Plano de Estudos Ano Curricular ECTS Horas Contacto Horas Totais
MPE 23 Plano de Estudos_15_16 12,0 314 324,0

Nº de semanas letivas: 15

Responsável

DocenteResponsabilidade
Sofia Gago da Silva Corrêa FigueiraResponsável

Carga horária

Horas/semana T TP P PL L TC E OT OT/PL TPL O S
Tipologia de aulas

Corpo docente

Tipo Docente Turmas Horas
Horas de Contacto Totais 1 15,00
Sofia Figueira   8,00
Lara Custódio   7,00

Língua de Ensino

Português

Objetivos de aprendizagem (conhecimentos, aptidões e competências a desenvolver pelos estudantes)

Pretende-se com esta UC que os estudantes sejam capazes de:
- articular os saberes da ação com os saberes teóricos de referência e com os
conhecimentos das diversas UC’s;
- saber utilizar a alternância interativa entre as intervenções educativas desenvolvidas nos
estágios realizados em contextos de creche e as sessões de formação desenvolvidas da
ESE/IPS.
- saber aliar uma sensibilidade de profissionais do humano, ao pensamento prático –
teórico.
-saber intervir coerente e consistentemente quer com o seu próprio projeto pedagógico,
quer o projeto educativo da instituição onde irão desempenhar as suas funções
profissionais.
- saber desenvolver o educuidar, ou seja, saber articular o educar e o cuidar.
- construir uma identidade de profissionais pedagogos, i.e., de especialistas da relação
pedagógica no âmbito da educação da primeira infância

Conteúdos programáticos

A. Trabalho com as famílias
A creche, enquanto espaço democrático
Processo de separação /adaptação da criança
Procedimentos e dispositivos de flexibilização do acolhimento das famílias e de suavização do processo
de Separação
Problemática do envolvimento das famílias na vida da creche
O princípio da coeducação: uma perspetiva crítica
B. Rotinas na creche
Acolhimento
Alimentação
Sesta
Higiene
Despedida - Entrega das crianças aos familiares
Atividades espontâneas das crianças
Modalidades de intervenção internacionalizada e planificação
C. Organização dos espaços e dos materiais na creche
Organizar e equipar um ambiente para crianças até aos 3 anosMateriais didáticos e materiais de exploração aberta
Espaço exterior


Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da UC

A análise de todas as temáticas dos conteúdos programáticos é orientada pelas intencionalidades da UC.
A reflexão sobre essas temáticas é uma oportunidade par que os estudantes realizem a indispensável
relação prático-teórica que carateriza as funções docentes na creche. Este movimento que conduz do
concreto para o abstrato, assenta na perspetiva de alternância interativa, adequando-se à finalidade
central da UC: preparar os estudantes para saberem intervir de forma efetiva nas instituições de educação
da primeira infância onde irão desempenhar as suas funções profissionais.

Metodologias de ensino

O trabalho desenvolvido nesta UC divide-se nas seguintes vertentes:
a) Sessões de reflexão prospetiva - preparação e planificação de cada semana de estágio.
b) Sessões de reflexão retrospetiva do trabalho desenvolvido em cada semana de estágio em plenário de
turma e em pequenos grupos de estágio.
c) Sessões de reflexão temática que incidirão nos aspetos enunciadas na anterior secção.
d) Sessões de acompanhamento realizadas pelos docentes da UC nas instituições de estágio.
São utilizados dois dispositivos de avaliação:
a) Relatório elaborado pelas educadoras cooperantes em colaboração com os orientadores de estágio,
sobre o desempenho das estagiárias nas diferentes áreas de intervenção Esse desempenho é analisado
segundo um modelo de avaliação qualitativa, cujos níveis são traduzidos em classificações quantitativas;
b) Elaboração de um Dossier Pedagógico segundo as linhas estabelecidas num documento orientador

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da UC

As metodologias de ensino incluem um conjunto de dispositivos e de procedimentos desenvolvidos nas
sessões prático-teóricas, assim como nas sessões de reflexão nos locais de estágio, com a participação
das educadoras cooperantes.
Todas estas sessões são oportunidades para aprenderem a posicionar-se nas instituições de estágio,
discernindo com lucidez o seu estatuto de estagiárias, assumindo as concomitantes responsabilidades
(deveres e direitos) que advêm desse estatuto. Assim, os estudantes têm a oportunidade de aprender a
integrar-se quer no trabalho desenvolvido pelas equipas das salas, quer no trabalho desenvolvido pelas
equipas educativas das instituições.
Complementarmente, tais sessões são momento privilegiados para os estudantes fazerem reflexões
prospetivas e retrospetivas sobre a sua intervenção educativa, quer num sentido global, quer no que se
refere às temáticas previstas pelos orientadores de estágio e docentes da UC. Por outro lado, estas
sessões permitem que os estudantes exercitem o seu relacionamento quer com as crianças, quer com
suas famílias, pautado pela expressão distância justa (nem demasiada proximidade, nem demasiada
distância). Nesse sentido, os estudantes são instados a desenvolver a sua capacidade de escuta atenta e empática do que é enunciado pelos elementos da equipa pedagógica, pelas crianças e pelos seus
familiares.
Em resumo, estas metodologias de ensino permitem que os estudantes assumam efectivamente as funções do educador de infância na creche.

Metodologia e provas de avaliação

Avaliação contínua:
A avaliação da UC incide sobre a intervenção e desempenho em contexto de creche e sobre o dossier pedagógico construído ao longo do estágio respeitando as seguintes ponderações:
Intervenção e Desempenho no estágio – 50%
(1) Avaliação da intervenção e desempenho do/a estudante no contexto de creche , através de Parecer da/o educador de infância.
Dossier pedagógico do estágio – 50%
(2) Realização de um Dossier Pedagógico com diferentes partes baseadas na intervenção, directa e indirecta, nos momentos experienciados no contextos de estágio.
A realização do estágio é obrigatório assim como a entrega dos produtos de avaliação-


As/os estudantes devem participar obrigatoriamente a 75% das aulas. Excepção para as/os estudantes que gozam de regime especial e que informem os professores da UC nos primeiros 15 das aulas.


Nota:
Um/a estudante que tenha insuficiente na componente de intervenção e desempenho no estágio será considerado/a não aprovado/a;
- a entrega do dossier pedagógico é obrigatória em regime de avaliação continua até ao dia 21 de janeiro de 2020:

- Esta UC não pode ser realizada por exame.

Regime de assiduidade

Os/as estudantes devem participar obrigatoriamente a em 75% das aulas. Excepção para os/as estudantes com regimes especiais

Bibliografia

Abramowicz, A., Wajskop, G. (1999) Educação Infantil – creches, atividades para crianças de zero a seis anos. São Paulo: Editora Moderna.

Barbosa, M.C. (2006). Por Amor e por Força : Rotinas na Educaçao Infantil Porto Alegre: Artmed

Bondioli, A. (org.) (2004). O Projeto Pedagógico da Creche e sua Avaliação – a qualidade negociada. São Paulo: Autores Associados.

Bondioli; A. & Mantovani, S. (1998). Manual de educação infantil: de 0 a 3 anos – uma abordagem reflexiva. Porto Alegre: Artmed,.

Cariuga, R.. Costa de Cargo, M. Rosa da Costa, M., (orgs) (2015) Bebés na escola: observação, sensibilidade e experiências essenciais. Porto Alegre. Editora Mediações

Carvalho, C., Portugal, G. (2017) Avaliação em Creche: crescendo com qualidade. Porto: Porto Editora

Cascais, A. (1998). A integração na creche - Uma questão de cheiros. In. Cadernos de Educação de Infância, nº48. Lisboa: APEI, pp.64-68

Dahlberg, G., Moss, P., & Pence, A. (1999). Qualidade na Educação da Primeira Infância: perspetivas pós-modernas. Porto Alegre.Artmed

Filho, A.(org) (2016) Educar na creche – uma prática construída com os bebés e para os bebés. Porto Alegre. Editora Mediações

Fochi, P. (2015). Afinal, o que fazem os bebés no berçario ? Brasil : Pensa Editora

Gandini, L Hill, L. Cadwell, L., Schwall. (2019). O papel do ateliê na educação infantil:inspiração de Reggio Emilia. Porto Alegre: Artmed (2ª edição)

Gandini, L., & Edwards, C. (2002). Bambini; A Abordagem Italiana à Educação Infantil. Porto alegre: Artmed.

Goldschmied, E., & Jackson S. (2006). Educação de 0 a 3 anos – O atendimento em creche (2ª ed.). Porto Alegre: Artmed.

Gonzalez-Mena, J, Eyer, D. (2014). O cuidado com bebés e crianças pequenas na creche : um currículo de educação e cuidados baseados em relações qualificadas (9ªedição) Porto Alegre: AMGH Editora.

Horn,M. (2017). Brincar e interagir nos espaços da escola infantil. Porto Alegre, Artmed.

Jablon, J, Dombro, A. Dichtelmiller, M. (2009). O poder da Observação (do nascimento aos 8 anos) Porto Alegre, Artmed

Montagner, H. (1999). A vinculação: A aurora da ternura. Lisboa. Instituto Piaget.

Moyles, J. (col).(2010). Fundamentos da Educação Infantil: enfrentando o desafio. Porto Alegre. Artmed

Oliveira-Formosinho, J., Araújo, S. B (2018). Modelos Pedagógicos para a Educação em Creche. Coleção Infância, Porto, Porto Editora.

Oliveira-Formosinho, J., Araújo, S. B. (2013). Educação em creche: Participação e diversidade. Coleção Infância, Porto, Porto Editora.

Oliveira, Z. (org.) (2000). Creches: crianças, faz de conta & cia. Petropolis : Editora Vozes.

Ostetto, L. (org) (2014). Educação Infantil saberes e fazeres da formação de professores (5ª edição) Campinas: Papirus Editora.

Ostetto, L. (org.) (2000) Encontros e Encantamentos na Educação Infantil. Campinas: Papirus Editora.
Post, J. & Hohmann, M. (2003), Educação de bebés em infantários. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.

Sarmento, T. (coord). (2016). Juntos…pela creche. Braga. Publito


Zabalza, M. A. (1998). Qualidade em Educação Infantil. Porto Alegre: ArtMed.

Zavalloni, G. (2015). La pedagogia del caracol – por una escuela lenta y no violenta. Barcelona: GRAÓ Editora


Opções
Últimas Notícias
Provas públicas para obtenção do Título de Especialista
Calendário de Exames de 2º Semestre 2019/20
Alteração dos pré-requisitos 2020
Revista MEDI@ÇÕES | Open Call
Plano de Regresso Faseado ESE/IPS
Página gerada em: 2020-07-15 às 04:22:48 Última actualização: 2010-07-19