Desportos de Natureza para Populações Especiais

Ficha de unidade curricular - Ano letivo 2021/2022

Código: DN09
Sigla: DNPE
Secção/Departamento: Ciências e Tecnologias
Semestre/Trimestre: 2º Semestre
Cursos:
Sigla Anos Curriculares ECTS
TSPDN 5
Nº de semanas letivas: 15
Carga horária:
Horas/semana T TP P PL L TC E OT OT/PL TPL O S
Tipologia de aulas
Responsável: Luís Filipe Moutinho Leitão
Corpo docente: Danilo José Moniz Ferreira

Língua de Ensino

Português

Objetivos de aprendizagem (conhecimentos, aptidões e competências a desenvolver pelos estudantes)

• Sensibilizar os estudantes para a importância do contexto em que se insere o desporto de natureza, numa lógica de criar consciências ecologicamente em termos da preservação da natureza e dos benefícios para populações especiais que decorrem da prática destas atividades físicas.
• Compreender a importância da atividade física e desportiva nas populações com características especiais enquanto meio privilegiado de promoção da saúde e da aptidão física, do bem-estar psíquico e emocional e da integração social.
• Conhecer as populações especiais em função das suas características específicas, tipo de incapacidade ou deficiência.
• Contribuir para que o Técnico Superior de Desporto de Natureza tenha um conhecimento adequado à intervenção técnico-pedagógica no âmbito dos desportos de natureza de forma a desenvolver programas de atividade física significativos para populações especificas.
• Habilitar os estudantes com conhecimentos teórico-práticos que lhes permitam planificar, organizar, desenvolver e avaliar atividades de desportos de natureza com populações especiais.
• Demonstrar o domínio de conhecimentos metodológicos para desenvolver e gerir programas e projetos de desportos de natureza para populações especiais.

Conteúdos programáticos

1. Desportos de Natureza, Atividade Física e Exercício Físico
1.1 Terminologia, definição e conceitos
1.2. O conceito de Atividade Física Adaptada e sua articulação com outras áreas de conhecimento

2. Desportos de Natureza para crianças, jovens, idosos e condições especificas de doenças crónicas (doenças cardiovasculares, obesidade)
2.1 Desportos de Natureza e crianças
2.2 Desportos de Natureza e jovens
2.3 Desportos de Natureza e idosos
2.4 Desportos de Natureza e as doenças crónicas

3. Desportos de Natureza e Atividade Física Adaptada
3.1 Domínios do comportamento e noção de desenvolvimento “atípico”
3.2 Os conceitos de deficiência, incapacidade e desvantagem
3.3 A Classificação Internacional de Funcionalidade
3.4 Breve evolução histórica da atividade física adaptada, principais objetivos e diferentes formas de encarar o indivíduo deficiente ao longo do tempo
3.5 Abordagens sociais à deficiência nas sociedades contemporâneas: modelo médico versus modelo social; modelo ecológico (formas e condições para a integração); conceito de inclusão.
3.6 Desportos de Natureza para pessoas com deficiência.


Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da UC

A abordagem dos conteúdos programáticos será feita através de aulas teóricas e teórico-práticas. As aulas teóricas serão destinadas aos conteúdos programáticos definidos e desenvolver-se-ão essencialmente de modo expositivo. Nas aulas teórico-práticas procurar-se-á fazer o desenvolvimento dos conteúdos programáticos, através da aplicação de fichas práticas e da participação ativa dos alunos em situações experimentais.

Metodologias de ensino

A UC exige que os alunos usem os conhecimentos de cada assunto tratado de forma integrada e aplicada. Pretende-se que os alunos tenham uma participação ativa na aquisição dos conhecimentos. Além das aulas expositivas, os alunos são instados a desenvolverem, individualmente ou em grupo, os assuntos tratados nas aulas teóricas. Será prestado apoio presencial e à distância na orientação da pesquisa dos temas em estudo e na realização dos trabalhos escritos e/ou apresentações orais. Na avaliação, o teste escrito visa validar a aquisição de conhecimentos teóricos. A realização de trabalhos escritos e/ou apresentações orais, visa avaliar a integração dos conhecimentos num corpo de conhecimentos coerente e sólido, orientado para a validação.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da UC

A UC de “desportos de Natureza para Populações Especiais” tem por finalidade transmitir um conjunto de conhecimentos que visam habilitar os estudantes ao domínio dos conceitos básicos e fatores fundamentais e determinantes para a interpertação dos desportos de natureza como forma benefica de melhorar a saude e qualidade de vida e de um melhor desenvolvimento humano nas diversas populações especiais, conhecimento indispensável para o futuro de profissionais ligados ao Desporto, diariamente confrontados com esta problemática.

Metodologia e provas de avaliação

- Assiduidade/participação (10%);
- Realização de trabalhos em sala de aula (10%)
- Trabalho Individual (35%)
- Trabalho de Grupo com apresentação oral (45%).

Regime de assiduidade

De forma a poderem ser avaliados no processo de avaliação continua, os estudantes devem:
- estar presentes em pelo menos 75% das aulas e participar na discussão das questões em análise, bem como na realização dos trabalhos propostos;
- ler os textos de apoio e estar preparado para analisar e discutir os temas apresentados.

Bibliografia

American College of Sports Medicine (2003). ACSM’s Exercise Management for Persons with Chronic Diseases and Disabilities (2nd Ed.).Champaign: Human Kinetics.

American College of Sports Medicine (2014). Guidelines for Exercise Testing and Prescription. (9th Edition). Baltimore: Williams and Wilkins.

American College of Sports Medicine (2014). Health Related Physical Fitness Assessment Manual. (4th Edition). Baltimore: Williams and Wilkins.

American College of Sports Medicine (2014). Resources for the personal trainer (4th Edition). Baltimore: Williams and Wilkins.

Fonseca, V. (2005). Temas de Psicomotricidade - 6. Léxico. Lisboa: Edições FMH.

Franco, A.L. (2004). Actividades Físico-Deportivas con Colectivos Especiales: Propuesta práctica. Sevilla: Editorial Wanceulen S.L.

Garel, J. P. (2007). Educación Física y Discapacidades Motrices. Barcelona: Inde Publicaciones.

Hérnandez, M.R. & Blanco, A.R. (2006). El Juego y los Alumnos com Discapacidad. Barcelona: Editorial Paidotribo.

Moniz Pereira, L. (1984). Evolução do estatuto do deficiente na Sociedade, in Horizonte, vol.1, nº2, Nov./Dez., pg. 132-135.

Moniz Pereira, L; Simões, C.; Espadinha, C. (2011). Introdução à integração social e reabilitação. C. Quebrada: Edições FMH.

Pereira, L.M. & Simões, C. (2005). Atitudes Face à Diferença: Temas de integração social e reabilitação. Lisboa: Edições FMH.

Sherril, C. (2005). Adapted physical activity, recreation and sport: cross-disciplinary and lifespan (6th edition). New York: McGraw-Hill.

WHO (2001). ICF: International Classification of Functioning and Disability. Geneva: WHO.

Winnick, J. P. (2011). Adapted physical education and sport. Champaign, Ill.: Human Kinetics.

Observações

Os critérios de avaliação poderão vir a ser alterados em função das limitações impostas pela situação pandémica e pela aplicação dos planos de confinamento que venham a ser adotados.

Página gerada em: 2022-10-01 às 05:39:48