Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Setúbal (ESE/IPS)

Relatório de Monitorização do IPS 2015/2016 - Escola

RESUMO

O presente relatório integra um conjunto de indicadores, cuja importância é considerada relevante para a monitorização de atividade letiva das Escolas e insere-se no contexto de comprometimento que o IPS tem vindo a assumir relativamente à disponibilização pública de informação atualizada, imparcial e objetiva, sobre os seus cursos e graus.

PARTE A - OFERTA FORMATIVA

Tabela 1 - Oferta formativa da Escola

Licenciaturas
Licenciatura em Animação e Intervenção Sociocultural
Licenciatura em Comunicação Social
Licenciatura em Desporto
Licenciatura em Educação Básica
Licenciatura em Língua Gestual Portuguesa
Licenciatura em Promoção Artística e Património
Licenciatura em Tradução e Interpretação de Língua Gestual Portuguesa
Mestrados
Mestrado em Educação Pré-Escolar
Mestrado em Educação Pré-Escolar e Ensino do 1º ciclo do Ensino Básico
Mestrado em Ensino do 1º Ciclo do Ensino Básico e de Matemática e Ciências Naturais do 2º Ciclo do Ensino Básico
Mestrado em Ensino do 1º ciclo do Ensino Básico e de Português e História e Geografia de Portugal no 2º ciclo do Ensino Básico
Mestrado em Ensino do 1º e do 2º Ciclo do Ensino Básico
Cursos Técnicos Superiores Profissionais
Curso Técnico Superior Profissional de Apoio à Gestão de Organizações Sociais
Curso Técnico Superior Profissional em Produção Audiovisual
Curso Técnico Superior Profissional em Serviço Familiar e Comunitário
Pós-graduações
Pós-Graduação em Administração e Gestão de Escolas
Pós-Graduação em "Educação Especial - Domínio Cognitivo e Motor"

CT1 - Comentário à tabela 1

A ESE/IPS oferece um leque variado de formações, continuando a apostar na formação pós-graduada e de 2º ciclo na área da educação e ensino.

PARTE B - ESTUDANTES MATRICULADOS

PARTE B1 - LICENCIATURAS

Tabela 2 - Vagas por tipo de ingresso

Vagas 2015/2016 2014/2015 2013/2014
Concurso Nacional de Acesso (CNA) 161 161 219
Regime Especial (1) 5 1 5
Outros Concursos de Acesso (OCA) Concursos Especiais (M23, CET, CTeSP, TOCS) 21 20 31
Mudanças de curso, Transferências e Reingressos - 1ª fase 25 28 25
Mudanças de curso, Transferências e Reingressos - outras fases (1) 7 26 0
Estudante Internacional 28 28 0
Total OCA 81 102 56
Total 247 264 280

       (1) O valor indicado corresponde ao número de estudantes matriculados/inscritos por esta via

CT2 - Comentário à tabela 2

Relativamente às vagas, verifica-se a manutenção do nº de vagas do CNA, verifica-se um aumento nos regimes especiais face a 2014/15. De referir o decréscimo do nº de Mudança de Curso, Transferências e Reingressos e a manutenção das vagas para os Estudantes Internacionais.

Tabela 3 - Estudantes matriculados por tipo de ingresso e taxa de ocupação

Tipos de ingresso 2015/2016 % 2014/2015 % 2013/2014 %
Concurso Nacional de Acesso (CNA) 148 59,9% 137 51,9% 151 53,9%
Outros Concursos de Acesso (OCA) 51 20,6% 67 25,4% 54 19,3%
Regimes Especiais (RE) 1 0,4% 1 0,4% 0 0,0%
TOTAL 200 81,0% 205 77,7% 205 73,2%

CT3 - Comentário à tabela 3

Verifica-se um aumento de oito pontos percentuais no número de estudantes matriculados pelo CNA, bem como um decréscimo em 4.2% nas matriculas por Outros concursos de acesso .

PARTE B2 - MESTRADOS

Tabela 4 - Vagas e taxas de ocupação

Indicadores 2015/2016 % 2014/2015 % 2013/2014 %
Vagas Concurso de Acesso 95 75 130
Vagas Estudante Internacional 19 6 0
Vagas Reingresso (1) 8 21 2
Candidatos 76 62,3% 99 97,1% 121 91,7%
Colocados 65 53,3% 85 83,3% 95 72,0%
Matriculados 55 45,1% 82 80,4% 81 61,4%

CT4 - Comentário à tabela 4

Os dados permitem concluir que apesar do aumento do número de vagas do concurso de acesso, o número de estudantes matriculados foi inferior aos anteriores anos letivos, tal deve-se ao facto de não termos candidatos suficientes para a abertura de dois dos mestrados, nomeadamente o Mestrado em Ensino do 1º Ciclo do Ensino Básico e de Matemática e Ciências Naturais do 2º Ciclo do Ensino Básico e o Mestrado em Ensino do 1º ciclo do Ensino Básico e de Português e História e Geografia de Portugal no 2º ciclo do Ensino Básico.

PARTE C - ESTUDANTES INSCRITOS

PARTE C1 - LICENCIATURAS

Tabela 5 - Distribuição dos estudantes inscritos, por ano curricular

Ano Curricular 2015/2016 % 2014/2015 % 2013/2014 %
1º Ano 186 32,2% 171 29,2% 222 35,4%
2º Ano 163 28,2% 192 32,8% 193 30,8%
3º Ano 229 39,6% 223 38,1% 212 33,8%
Total de inscritos 578 100,0% 586 100,0% 627 100,0%

CT5 - Comentário à tabela 5

Verifica-se uma distribuição equilibrada do número de estudantes inscritos por ano curricular, mantendo-se a constante de um aumento no 3º ano.

Tabela 6 - Distribuição dos estudantes inscritos, por género

Género 2015/2016 % 2014/2015 % 2013/2014 %
Feminino 384 66,4% 402 68,6% 445 71,0%
Masculino 194 33,6% 184 31,4% 182 29,0%
Total de inscritos 578 100,0% 586 100,0% 627 100,0%

CT6 - Comentário à tabela 6

Verifica-se que a maioria dos estudantes que frequenta as licenciaturas é do género feminino (66,4%). De referir que esta percentagem tem vindo a sofrer ligeiras alterações desde à alguns anos.

Tabela 7 - Distribuição dos estudantes inscritos, por faixa etária

Faixas etárias 2015/2016 % 2014/2015 % 2013/2014 %
Até 20 anos 49 8,5% 44 7,5% 48 7,7%
Dos 21 aos 23 anos 337 58,3% 372 63,5% 392 62,5%
Dos 24 aos 27 anos 123 21,3% 101 17,2% 97 15,5%
Dos 28 aos 35 anos 41 7,1% 41 7,0% 49 7,8%
Dos 36 aos 40 anos 12 2,1% 11 1,9% 21 3,3%
Mais de 40 anos 15 2,6% 16 2,7% 19 3,0%
Informação incorreta ou inexistente 1 0,0% 1 0,0% 1 0,0%
Total de inscritos 578 100,0% 586 100,0% 627 100,0%

CT7 - Comentário à tabela 7

A faixa etária dos estudantes mantem-se no intervalo entre os 21 e os 27 anos (79,8%). De referir também um aumento de um ponto percentual nos estudantes até 20 anos.

Tabela 8 - Informação relativa aos estudantes com regalias

Regalia 2015/2016 % 2014/2015 % 2013/2014 %
Atleta de Alta Competição 1 0,2% 0 0,0% 0 0,0%
Estudante Bolseiro 172 29,8% 171 29,2% 174 27,8%
Estatuto Dirigente Associativo 1 0,2% 0 0,0% 3 0,5%
Estatuto Dirigente Associativo Semestral 4 0,7% 0 0,0% 0 0,0%
Estudante a Tempo Parcial 2 0,3% 1 0,2% 2 0,3%
Estudante Finalista 0 0,0% 38 6,5% 11 1,8%
Finalista e Trabalhador Estudante 0 0,0% 2 0,3% 3 0,5%
Mãe Trabalhadora Estudante 0 0,0% 0 0,0% 1 0,2%
Mãe Trabalhadora Estudante 2 0,3% 1 0,2% 2 0,3%
Pai Estudante 0 0,0% 0 0,0% 1 0,2%
Pai/Mãe/Tempo Parcial 2 0,3% 0 0,0% 0 0,0%
Trabalhador Estudante 56 9,7% 44 7,5% 64 10,2%
Trabalhador Estudante Semestral 13 2,2% 14 2,4% 0 0,0%

CT8 - Comentário à tabela 8

A leitura dos dados permite compreender que a regalia atribuída em maior número aos estudantes é a bolsa de estudo. Mantem-se a tendência da maior atribuição de regalias, aos trabalhadores estudantes, verificando-se que 11,9% usufruem desta regalia quer ao longo do ano, quer semestralmente.

PARTE C2 - MESTRADOS

Tabela 9 - Distribuição dos estudantes inscritos, por ano curricular

Ano Curricular 2015/2016 % 2014/2015 % 2013/2014 %
1º Ano 60 50,0% 60 35,9% 102 54,8%
2º Ano 60 50,0% 107 64,1% 84 45,2%
Total de inscritos 120 100,0% 167 100,0% 186 100,0%

CT9 - Comentário à tabela 9

Verifica-se uma distribuição equilibrada do número de estudantes inscritos por ano curricular.

Tabela 10 - Distribuição dos estudantes inscritos, por género

Género 2015/2016 % 2014/2015 % 2013/2014 %
Feminino 115 95,8% 152 91,0% 165 88,7%
Masculino 5 4,2% 15 9,0% 21 11,3%
Total de inscritos 120 100,0% 167 100,0% 186 100,0%

CT10 - Comentário à tabela 10

Verifica-se que a maioria dos estudantes que frequentam os mestrados são do género feminino (92,9%), mantendo-se a tendência de redução do número de estudantes do género masculino.

Tabela 11 - Distribuição dos estudantes inscritos, por faixa etária

Faixas etárias 2015/2016 % 2014/2015 % 2013/2014 %
Até 20 anos 0 0,0% 0 0,0% 0 0,0%
Dos 21 aos 23 anos 34 28,3% 48 28,7% 48 25,8%
Dos 24 aos 27 anos 64 53,3% 76 45,5% 86 46,2%
Dos 28 aos 35 anos 16 13,3% 24 14,4% 28 15,1%
Dos 36 aos 40 anos 3 2,5% 11 6,6% 12 6,5%
Mais de 40 anos 3 2,5% 8 4,8% 12 6,5%
Total de inscritos 120 100,0% 167 100,0% 186 100,0%

CT11 - Comentário à tabela 11

A faixa etária dos estudantes de mestrado situa-se maioritariamente no intervalo entre os 21 e os 35 anos (90.6%).

Tabela 12 - Informação relativa aos estudantes com regalias

Regalia 2015/2016 % 2014/2015 % 2013/2014 %
Estudante Bolseiro 28 23,3% 38 22,8% 41 22,0%
Estudante Finalista 0 0,0% 1 0,6% 0 0,0%
Mãe Trabalhadora Estudante 1 0,8% 1 0,6% 0 0,0%
Mãe Trabalhadora Estudante 0 0,0% 0 0,0% 1 0,5%
Pai Trabalhador Estudante 0 0,0% 0 0,0% 1 0,5%
Trabalhador Estudante 14 11,7% 15 9,0% 13 7,0%
Trabalhador Estudante Semestral 0 0,0% 3 1,8% 0 0,0%

CT12 - Comentário à tabela 12

A leitura dos dados permite compreender que a regalia atribuída em maior número aos estudantes é, à semelhança das licenciaturas, a bolsa de estudo. Mantem-se também a tendência de regalias aos trabalhadores estudantes (11%).

PARTE D - ANÁLISE GLOBAL DOS RESULTADOS

PARTE D1 - LICENCIATURAS

Tabela 13 - Número de inscrições e taxas de sucesso escolar da totalidade das UC que integram o 1º ano dos Planos de Estudos dos cursos de Licenciatura

Curso 2015/2016 2014/2015 2013/2014
Nº de UC Inscrições Av/In Ap/In Ap/Av Nº de UC Inscrições Av/In Ap/In Ap/Av Nº de UC Inscrições Av/In Ap/In Ap/Av
Licenciatura em Animação e Intervenção Sociocultural 14 477 92,2% 89,1% 96,6% 14 465 96,1% 90,3% 94,0% 19 402 84,3% 75,4% 89,4%
Licenciatura em Comunicação Social 26 559 90,3% 81,2% 89,9% 32 627 85,8% 79,1% 92,2% 19 567 84,7% 70,4% 83,1%
Licenciatura em Desporto 11 499 83,8% 73,5% 87,8% 20 438 81,7% 71,9% 88,0% 27 485 85,8% 76,9% 89,7%
Licenciatura em Educação Básica 14 750 89,6% 76,7% 85,6% 14 737 88,2% 71,5% 81,1% 14 717 85,2% 77,0% 90,3%
Licenciatura em Língua Gestual Portuguesa 3 4 25,0% 25,0% 100,0% 10 14 35,7% 35,7% 100,0% 13 189 93,1% 87,3% 93,8%
Licenciatura em Promoção Artística e Património 6 11 63,6% 54,5% 85,7% 10 17 47,1% 29,4% 62,5% 18 108 83,3% 72,2% 86,7%
Licenciatura em Tradução e Interpretação de Língua Gestual Portuguesa 14 95 100,0% 97,9% 97,9% 14 105 79,0% 77,1% 97,6% 2 2 100,0% 100,0% 100,0%
1º ano 88 2395 89,3% 80,2% 89,9% 114 2403 86,9% 76,9% 88,5% 112 2470 85,6% 75,8% 88,6%

CT13 - Comentário à tabela 13

Importa aqui realçar que os estudantes de 1º ano, em quatro das sete licenciaturas, conseguiram uma melhor taxa de sucesso escolar na totalidade das uc que integram os seus planos de estudo, face ao ano anterior. No entanto, em duas das licenciaturas, nomeadamente, Desporto e Comunicação Social, verifica-se um ligeiro decréscimo na taxa de sucesso escolar na totalidade das uc. De realçar a taxa de sucesso mais reduzida, 85,6%, na licenciatura em Educação Básica. Em resumo, importa mencionar que a taxa de sucesso na totalidade das uc que integram os planos de estudo das licenciaturas situa-se nos 89,5%.

Tabela 14 - Número de inscrições e taxas de sucesso escolar da totalidade das UC que integram o 2º ano dos Planos de Estudos dos cursos de Licenciatura

Curso 2015/2016 2014/2015 2013/2014
Nº de UC Inscrições Av/In Ap/In Ap/Av Nº de UC Inscrições Av/In Ap/In Ap/Av Nº de UC Inscrições Av/In Ap/In Ap/Av
Licenciatura em Animação e Intervenção Sociocultural 13 316 95,9% 91,1% 95,0% 12 224 90,6% 88,8% 98,0% 19 370 95,1% 89,5% 94,0%
Licenciatura em Comunicação Social 40 664 88,0% 72,3% 82,2% 26 551 84,6% 65,5% 77,5% 25 670 85,8% 70,4% 82,1%
Licenciatura em Desporto 11 387 91,7% 72,6% 79,2% 22 508 92,5% 79,5% 86,0% 14 517 91,3% 79,1% 86,7%
Licenciatura em Educação Básica 15 682 93,7% 89,6% 95,6% 21 709 89,7% 81,5% 90,9% 21 738 90,9% 84,6% 93,0%
Licenciatura em Língua Gestual Portuguesa 2 2 100,0% 100,0% 100,0% 12 143 100,0% 99,3% 99,3% - - - - -
Licenciatura em Promoção Artística e Património 11 18 27,8% 27,8% 100,0% 16 102 82,4% 68,6% 83,3% 16 153 85,0% 78,4% 92,3%
Licenciatura em Tradução e Interpretação de Língua Gestual Portuguesa 11 80 91,3% 90,0% 98,6% - - - - - 13 137 100,0% 99,3% 99,3%
2º ano 103 2149 91,3% 80,9% 88,7% 109 2237 89,5% 78,4% 87,6% 108 2585 90,4% 80,9% 89,5%

CT14 - Comentário à tabela 14

Verifica-se que os estudantes de 2º ano, em cinco das sete licenciaturas em funcionamento conseguiram uma melhor taxa de sucesso escolar na totalidade das uc que integram os seus planos de estudo, face aos anos anteriores. Nas licenciaturas em animação e intervenção sociocultural e em desporto verificam-se decréscimos na taxa de sucesso escolar na totalidade das uc, sendo esta a taxa de sucesso da licenciatura em desporto a mais reduzida - 79,2%. Em resumo, importa mencionar que a taxa de sucesso dos estudantes de 2º ano, na totalidade das uc que integram os planos de estudo das licenciaturas situa-se nos 88,7%

Tabela 15 - Número de inscrições e taxas de sucesso escolar da totalidade das UC que integram o 3º ano dos Planos de Estudos dos cursos de Licenciatura

Curso 2015/2016 2014/2015 2013/2014
Nº de UC Inscrições Av/In Ap/In Ap/Av Nº de UC Inscrições Av/In Ap/In Ap/Av Nº de UC Inscrições Av/In Ap/In Ap/Av
Licenciatura em Animação e Intervenção Sociocultural 9 178 96,6% 93,3% 96,5% 9 205 95,1% 83,4% 87,7% 18 303 96,0% 87,5% 91,1%
Licenciatura em Comunicação Social 20 372 90,9% 86,3% 95,0% 19 411 92,5% 84,2% 91,1% 20 347 86,2% 76,9% 89,3%
Licenciatura em Desporto 11 513 89,7% 79,3% 88,5% 15 438 87,2% 81,3% 93,2% 11 329 86,6% 82,7% 95,4%
Licenciatura em Educação Básica 12 559 93,0% 89,8% 96,5% 12 625 91,0% 81,1% 89,1% 12 942 93,9% 88,5% 94,2%
Licenciatura em Língua Gestual Portuguesa 13 132 93,9% 92,4% 98,4% - - - - - - - - - -
Licenciatura em Promoção Artística e Património 15 64 89,1% 89,1% 100,0% 14 113 80,5% 77,9% 96,7% 15 143 86,7% 80,4% 92,7%
Licenciatura em Tradução e Interpretação de Língua Gestual Portuguesa - - - - - 15 168 100,0% 85,1% 85,1% 14 208 100,0% 100,0% 100,0%
3º ano 80 1818 91,9% 86,6% 94,3% 84 1960 91,1% 82,2% 90,3% 90 2272 92,1% 86,3% 93,7%

CT15 - Comentário à tabela 15

Verifica-se que os estudantes de 3º ano, em cinco das seis licenciaturas em funcionamento conseguiram uma melhor taxa de sucesso escolar na totalidade das uc que integram os seus planos de estudo, face aos anos anteriores. Na licenciatura em desporto verifica-se um ligeiro decréscimo na taxa de sucesso escolar na totalidade das uc de 3º ano, sendo esta a taxa de sucesso mais reduzida - 88,5%. Em resumo, importa mencionar que a taxa de sucesso dos estudantes de 3º ano, na totalidade das uc que integram os planos de estudo das licenciaturas situa-se nos 94,3%

Tabela 16 - Número de inscrições e taxas de sucesso escolar da totalidade das UC que integram o 4º ano dos Planos de Estudos dos cursos de Licenciatura

Curso 2015/2016 2014/2015 2013/2014
Nº de UC Inscrições Av/In Ap/In Ap/Av Nº de UC Inscrições Av/In Ap/In Ap/Av Nº de UC Inscrições Av/In Ap/In Ap/Av
4º ano 0 0 0,0% 0,0% 0,0% 0 0 0,0% 0,0% 0,0% 0 0 0,0% 0,0% 0,0%

CT16 - Comentário à tabela 16

Não existe 4º ano nos planos de estudo das licenciaturas da ESE/IPS.

Tabela 17 - Número de inscrições e taxas de sucesso escolar da totalidade das UC que integram os Planos de Estudos dos cursos de Licenciatura (global)

Curso 2015/2016 2014/2015 2013/2014
Nº de UC Inscrições Av/In Ap/In Ap/Av Nº de UC Inscrições Av/In Ap/In Ap/Av Nº de UC Inscrições Av/In Ap/In Ap/Av
Licenciatura em Animação e Intervenção Sociocultural 36 971 94,2% 90,5% 96,1% 35 894 94,5% 88,4% 93,5% 56 1075 91,3% 83,6% 91,5%
Licenciatura em Comunicação Social 86 1595 89,5% 78,7% 87,9% 77 1589 87,1% 75,7% 86,9% 64 1584 85,5% 71,8% 84,0%
Licenciatura em Desporto 33 1399 88,1% 75,4% 85,6% 57 1384 87,4% 77,7% 88,8% 52 1331 88,1% 79,2% 89,9%
Licenciatura em Educação Básica 41 1991 92,0% 84,8% 92,2% 47 2071 89,6% 77,8% 86,9% 47 2397 90,4% 83,9% 92,8%
Licenciatura em Língua Gestual Portuguesa 18 138 92,0% 90,6% 98,4% 22 157 94,3% 93,6% 99,3% 13 189 93,1% 87,3% 93,8%
Licenciatura em Promoção Artística e Património 32 93 74,2% 73,1% 98,6% 40 232 78,9% 70,3% 89,1% 49 404 85,1% 77,5% 91,0%
Licenciatura em Tradução e Interpretação de Língua Gestual Portuguesa 25 175 96,0% 94,3% 98,2% 29 273 91,9% 82,1% 89,2% 29 347 100,0% 99,7% 99,7%
Global 271 6362 90,7% 82,3% 90,7% 307 6600 89,0% 79,0% 88,7% 310 7327 89,3% 80,9% 90,6%

CT17 - Comentário à tabela 17

A leitura dos dados permite compreender que a taxa de sucesso dos estudantes das licenciaturas é bastante positiva, situando-se nos 90,7%, realçando-se o facto deste valor ter aumentado face aos ano letivos anteriores.

Tabela 18 - Retenção no 1º Ano

Curso 2015/2016 % 2014/2015 % 2013/2014 %
Licenciatura em Animação e Intervenção Sociocultural 0 0,0% 0 0,0% 28 75,7%
Licenciatura em Comunicação Social 4 8,7% 2 4,7% 2 3,9%
Licenciatura em Desporto 3 8,3% 1 2,6% 3 6,5%
Licenciatura em Educação Básica 1 2,0% 0 0,0% 2 3,1%
Licenciatura em Língua Gestual Portuguesa 0 0,0% 0 0,0% 0 0,0%
Licenciatura em Promoção Artística e Património 0 0,0% 1 11,1% 0 0,0%
Licenciatura em Tradução e Interpretação de Língua Gestual Portuguesa 0 0,0% 0 0,0% 0 0,0%
Total 8 19,1% 4 18,3% 35 89,1%

CT18 - Comentário à tabela 18

A taxa de retenção dos estudantes no 1º ano das licenciaturas é residual, 9 estudantes em 186, sendo que oito se registam em duas das licenciaturas - Desporto e Animação e Intervenção Sociocultural. Estes dados devem ser analisados e compreender as razões das retenções de modo a que possam ser minimizadas.

Tabela 19 - Total de anulações de matrícula nos cursos de licenciatura

Curso 2015/2016 % 2014/2015 % 2013/2014 %
Licenciatura em Animação e Intervenção Sociocultural 15 15,6% 7 7,8% 16 16,8%
Licenciatura em Comunicação Social 20 14,8% 18 13,2% 25 19,2%
Licenciatura em Desporto 10 7,2% 14 10,7% 15 12,4%
Licenciatura em Educação Básica 20 11,8% 26 14,9% 30 14,9%
Licenciatura em Língua Gestual Portuguesa 3 25,0% 1 7,7% 4 25,0%
Licenciatura em Promoção Artística e Património 4 44,4% 5 23,8% 6 17,1%
Licenciatura em Tradução e Interpretação de Língua Gestual Portuguesa 4 22,2% 3 14,3% 2 6,9%
Total 76 13,1% 74 12,6% 98 15,6%

CT19 - Comentário à tabela 19

Nas sete licenciaturas em funcionamento, verifica-se que 13,5% dos estudantes anularam a sua matrícula. De realçar que, apesar da Licenciatura em Educação Básica ser a que regista o maior número de anulações, este valor decresceu face a 2014/15. A licenciatura em desporto mantem a sua linha de decréscimo face a anos anteriores. A licenciatura em animação e intervenção sociocultural é a que regista um maior aumento (50%). Como tal importa compreender as razões que levaram os estudantes a anular as suas matrículas, de modo a alterar procedimentos no futuro .

Tabela 20 - Indicadores de eficácia global dos cursos de licenciatura

Indicadores 2015/2016 2014/2015 2013/2014
Total de Graduados 150 138 148
Graduados em até N anos/Total de Graduados 74,0% - 111 78,3% - 108 85,8% - 127
Graduados em N + 1 anos/Total de Graduados 18,7% - 28 14,5% - 20 7,4% - 11
Graduados em N + 2 anos/Total de Graduados 5,3% - 8 5,1% - 7 2,7% - 4
Graduados em > N + 2 anos/Total de Graduados 2,0% - 3 2,2% - 3 4,1% - 6
N.º médio de inscrições dos Graduados 3 3 3
Graduados/Estudantes matriculados 75,0% 67,3% 72,2%
Nota Média Final dos Diplomados 13,8 13,7 14

CT20 - Comentário à tabela 20

Apesar do nº de estudantes graduados em N anos ter vindo a decrescer, verifica-se um acréscimo dos estudantes graduados em N, N+1 e N+2 ano, mantendo-se o número de estudantes graduados em > N +2 anos. A média final dos estudantes graduados teve um acréscimo de 0,1 pontos percentuais. De referir como muito positivo o facto do nº médio de inscrições dos graduados se situar nas 3, o que permite compreender que a maioria dos estudantes termina o curso em 3 anos.

PARTE D2 - MESTRADOS

Tabela 21 - Número de inscrições e taxas de sucesso escolar da totalidade das UC que integram o 1º ano dos Planos de Estudos dos cursos de Mestrado

Curso 2015/2016 2014/2015 2013/2014
Nº de UC Inscrições Av/In Ap/In Ap/Av Nº de UC Inscrições Av/In Ap/In Ap/Av Nº de UC Inscrições Av/In Ap/In Ap/Av
Mestrado em Educação Pré-Escolar 10 135 93,3% 93,3% 100,0% 9 228 92,5% 92,1% 99,5% 9 241 90,0% 88,4% 98,2%
Mestrado em Educação Pré-Escolar e Ensino do 1º ciclo do Ensino Básico 17 239 95,4% 92,9% 97,4% 10 281 95,4% 94,3% 98,9% 10 295 97,6% 97,3% 99,7%
Mestrado em Ensino do 1º Ciclo do Ensino Básico e de Matemática e Ciências Naturais do 2º Ciclo do Ensino Básico - - - - - - - - - - - - - - -
Mestrado em Ensino do 1º ciclo do Ensino Básico e de Português e História e Geografia de Portugal no 2º ciclo do Ensino Básico - - - - - - - - - - - - - - -
Mestrado em Ensino do 1º e do 2º Ciclo do Ensino Básico 5 7 71,4% 42,9% 60,0% 13 93 90,3% 82,8% 91,7% 13 140 98,6% 95,0% 96,4%
1º ano 32 381 94,2% 92,1% 97,8% 32 602 93,5% 91,7% 98,0% 32 676 95,1% 93,6% 98,4%

CT21 - Comentário à tabela 21

A análise dos dados permite verificar que os estudantes de 1º ano, apenas no Mestrado em Educação Pré-escolar, um dos dois mestrados em funcionamento, conseguiram uma melhor taxa de sucesso escolar na totalidade das uc que integram os seus planos de estudo (100%), face ao ano anterior. No Mestrado em Educação Pré-escolar e Ensino do 1º CEB a taxa de sucesso reduziu em 1,5%, no entanto esta taxa de sucesso situa-se nos 97,4%. Em resumo, importa mencionar que a taxa de sucesso na totalidade das uc que integram os planos de estudo dos mestrados situa-se nos 97,8%

Tabela 22 - Número de inscrições e taxas de sucesso escolar da totalidade das UC que integram o 2º ano dos Planos de Estudos dos cursos de Mestrado

Curso 2015/2016 2014/2015 2013/2014
Nº de UC Inscrições Av/In Ap/In Ap/Av Nº de UC Inscrições Av/In Ap/In Ap/Av Nº de UC Inscrições Av/In Ap/In Ap/Av
Mestrado em Educação Pré-Escolar - - - - - - - - - - - - - - -
Mestrado em Educação Pré-Escolar e Ensino do 1º ciclo do Ensino Básico 5 131 84,7% 84,7% 100,0% 5 131 80,9% 80,9% 100,0% 6 139 82,0% 81,3% 99,1%
Mestrado em Ensino do 1º Ciclo do Ensino Básico e de Matemática e Ciências Naturais do 2º Ciclo do Ensino Básico - - - - - - - - - - - - - - -
Mestrado em Ensino do 1º ciclo do Ensino Básico e de Português e História e Geografia de Portugal no 2º ciclo do Ensino Básico - - - - - - - - - - - - - - -
Mestrado em Ensino do 1º e do 2º Ciclo do Ensino Básico 8 56 85,7% 85,7% 100,0% 8 92 85,9% 85,9% 100,0% 8 76 84,2% 81,6% 96,9%
2º ano 13 187 85,0% 85,0% 100,0% 13 223 83,0% 83,0% 100,0% 14 215 82,8% 81,4% 98,3%

CT22 - Comentário à tabela 22

A análise dos dados permite verificar que a taxa de sucesso escolar na totalidade das uc que integram o n2º anos dos planos de estudo se situa nos 100%.

Tabela 23 - Número de inscrições e taxas de sucesso escolar da totalidade das UC que integram os Planos de Estudos dos cursos de Mestrado (global)

Curso 2015/2016 2014/2015 2013/2014
Nº de UC Inscrições Av/In Ap/In Ap/Av Nº de UC Inscrições Av/In Ap/In Ap/Av Nº de UC Inscrições Av/In Ap/In Ap/Av
Mestrado em Educação Pré-Escolar 10 135 93,3% 93,3% 100,0% 9 228 92,5% 92,1% 99,5% 9 241 90,0% 88,4% 98,2%
Mestrado em Educação Pré-Escolar e Ensino do 1º ciclo do Ensino Básico 22 370 91,6% 90,0% 98,2% 15 412 90,8% 90,0% 99,2% 16 434 92,6% 92,2% 99,5%
Mestrado em Ensino do 1º Ciclo do Ensino Básico e de Matemática e Ciências Naturais do 2º Ciclo do Ensino Básico 0 0 0,0% 0,0% 0,0% 0 0 0,0% 0,0% 0,0% 0 0 0,0% 0,0% 0,0%
Mestrado em Ensino do 1º ciclo do Ensino Básico e de Português e História e Geografia de Portugal no 2º ciclo do Ensino Básico 0 0 0,0% 0,0% 0,0% 0 0 0,0% 0,0% 0,0% 0 0 0,0% 0,0% 0,0%
Mestrado em Ensino do 1º e do 2º Ciclo do Ensino Básico 13 63 84,1% 81,0% 96,2% 21 185 88,1% 84,3% 95,7% 21 216 93,5% 90,3% 96,5%
Global 45 568 91,2% 89,8% 98,5% 45 825 90,7% 89,3% 98,5% 46 891 92,1% 90,7% 98,4%

CT23 - Comentário à tabela 23

Na generalidade, a taxa de sucesso escolar na totalidade das uc que integram os planos de estudo, situa-se nos 98,5%, verificando-se uma excelente taxa de sucesso nos mestrados em funcionamento.

Tabela 24 - Retenção no 1º Ano

Curso 2015/2016 % 2014/2015 % 2013/2014 %
Mestrado em Educação Pré-Escolar 12 48,0% 1 2,1% 18 48,7%
Mestrado em Educação Pré-Escolar e Ensino do 1º ciclo do Ensino Básico 1 3,6% 0 0,0% 0 0,0%
Mestrado em Ensino do 1º Ciclo do Ensino Básico e de Matemática e Ciências Naturais do 2º Ciclo do Ensino Básico 0 0,0% 0 0,0% 0 0,0%
Mestrado em Ensino do 1º ciclo do Ensino Básico e de Português e História e Geografia de Portugal no 2º ciclo do Ensino Básico 0 0,0% 0 0,0% 0 0,0%
Mestrado em Ensino do 1º e do 2º Ciclo do Ensino Básico 0 0,0% 0 0,0% 0 0,0%
Total 13 51,6% 1 2,1% 18 48,7%

CT24 - Comentário à tabela 24

No Mestrado em Educação Pré-escolar alguns estudantes não terminam o curso em N anos devido ao facto de lhes faltar a defesa em ato público da componente de investigação do relatório de estágio, assim, a taxa de insucesso neste mestrado é de 50%. Estes dados enviesam a leitura dos dados porque, na globalidade, não existem retenções nos mestrados em funcionamento na ESE/IPS.

Tabela 25 - Anulações de matrícula com Diploma Intermédio

Curso 2015/2016 % 2014/2015 % 2013/2014 %
Mestrado em Educação Pré-Escolar 0 0,0% 0 0,0% 0 0,0%
Mestrado em Educação Pré-Escolar e Ensino do 1º ciclo do Ensino Básico 0 0,0% 0 0,0% 0 0,0%
Mestrado em Ensino do 1º Ciclo do Ensino Básico e de Matemática e Ciências Naturais do 2º Ciclo do Ensino Básico 0 0,0% 0 0,0% 0 0,0%
Mestrado em Ensino do 1º ciclo do Ensino Básico e de Português e História e Geografia de Portugal no 2º ciclo do Ensino Básico 0 0,0% 0 0,0% 0 0,0%
Mestrado em Ensino do 1º e do 2º Ciclo do Ensino Básico 0 0,0% 0 0,0% 0 0,0%
Total 0 0,0% 0 0,0% 0 0,0%

CT25 - Comentário à tabela 25

No presente ano letivo nenhum estudante com diploma intermédio procedeu à anulação de matrícula.

Tabela 26 - Total de anulações de matrícula nos cursos de mestrados

Curso 2015/2016 % 2014/2015 % 2013/2014 %
Mestrado em Educação Pré-Escolar 7 21,9% 7 15,6% 8 16,7%
Mestrado em Educação Pré-Escolar e Ensino do 1º ciclo do Ensino Básico 6 8,6% 12 15,6% 15 18,8%
Mestrado em Ensino do 1º Ciclo do Ensino Básico e de Matemática e Ciências Naturais do 2º Ciclo do Ensino Básico 4 100,0% 0 0,0% 0 0,0%
Mestrado em Ensino do 1º ciclo do Ensino Básico e de Português e História e Geografia de Portugal no 2º ciclo do Ensino Básico 0 0,0% 0 0,0% 0 0,0%
Mestrado em Ensino do 1º e do 2º Ciclo do Ensino Básico 2 14,3% 5 18,5% 0 0,0%
Total 19 15,8% 24 16,1% 23 15,4%

CT26 - Comentário à tabela 26

Verifica-se um decréscimo positivo no total de anulações de matrículas dos estudantes nos cursos de mestrado.

Tabela 27 - Indicadores de eficácia global dos cursos de mestrados

Indicadores 2015/2016 2014/2015 2013/2014
Total de Graduados 36 72 73
Graduados em até N anos/Total de Graduados 58,3% - 21 58,3% - 42 56,2% - 41
Graduados em N + 1 anos/Total de Graduados 27,8% - 10 18,1% - 13 16,4% - 12
Graduados em N + 2 anos/Total de Graduados 11,1% - 4 4,2% - 3 8,2% - 6
Graduados em > N + 2 anos/Total de Graduados 2,8% - 1 2,8% - 2 0,0% - 0
N.º médio de inscrições dos Graduados 3 2 2
Graduados/Estudantes matriculados 65,5% 87,8% 90,1%
Nota Média Final dos Diplomados 15,8 15,5 15,5

CT27 - Comentário à tabela 27

De referir que os estudantes graduados em N anos tem vindo a estabilizar, verificando-se por um lado um ligeiro decréscimo face ao ano anterior e, por outro, um acréscimo dos estudantes graduados em N+1. De referir como menos positivo o acréscimo do número de estudantes graduados em > N +2 anos, ainda que seja um valor residual. A média final dos estudantes graduados manteve-se, nos 15,5 valores. De referir como preocupante e menos positivo o facto do nº médio de inscrições dos graduados se situar nas 3. Importa rever procedimentos de modo a reverter esta situação.

PARTE E - EMPREGABILIDADE E INSERÇÃO NA VIDA ATIVA

À data de construção do relatório ainda não dispomos de dados para analisar a Empregabilidade e Inserção na Vida Ativada dos nossos licenciados e mestres.

PARTE E1 - LICENCIATURAS

PARTE E2 - MESTRADOS

PARTE F - MOBILIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO

PARTE F1 - Mobilidade

Tabela 28 - Informação relativa a mobilidade dos cursos de Licenciatura

Mobilidade 2015/2016 2014/2015 2013/2014
Estudantes em mobilidade incoming (1) 23 15 20
Estudantes em mobilidade outgoing (1) 4 2 8
Graduados com Mobilidade 2 1 7
Estudantes incoming/Estudantes inscritos 4,0% 2,6% 3,2%
Estudantes outgoing/Estudantes inscritos 0,7% 0,3% 1,3%

Observações (1) Conceito de estudante em mobilidade incoming por curso (Ver Glossário IPS)

CT28 - Comentário à tabela 28

Neste ano letivo houve um investimento na divulgação e na explicitação dos programas de mobilidade quer junto dos docentes, quer junto dos estudantes. Tendo-se verificado um aumento na mobilidade dos estudantes outgoing, ainda assim o número de estudantes é residual. Quanto aos estudantes incoming verifica-se também um aumento de 1,4%. É necessário continuar a investir para que se consigam obter melhores resultados.

Tabela 29 - Informação relativa a mobilidade dos cursos de Mestrado

Mobilidade 2015/2016 2014/2015 2013/2014
Estudantes em mobilidade incoming (1) 0 0 2
Estudantes em mobilidade outgoing (1) 0 0 0
Graduados com Mobilidade 0 0 0
Estudantes incoming/Estudantes inscritos 0,0% 0,0% 1,1%
Estudantes outgoing/Estudantes inscritos 0,0% 0,0% 0,0%

Observações (1) Conceito de estudante em mobilidade incoming por curso (Ver Glossário IPS)

CT29 - Comentário à tabela 29

A organização dos planos de estudos não é favorável à realização de mobilidade pelos estudantes de mestrado, mesmo assim, verifica-se a necessidade de investir na sua divulgação pelos estudantes.

PARTE F2 - Internacionalização

Tabela 30 - Informação relativa à internacionalização dos cursos de Licenciatura

Internacionalização 2015/2016 2014/2015 2013/2014
Estudantes Estrangeiros 24 22 21
Docentes Estrangeiros 1 1 1
Graduados Estrangeiros 3 5 0

CT30 - Comentário à tabela 30

O número de estudantes estrangeiros continua a crescer nos cursos de licenciatura, pelo que importa continuar a promover a participação destes estudantes.

Tabela 31 - Informação relativa à internacionalização dos cursos de Mestrados

Internacionalização 2015/2016 2014/2015 2013/2014
Estudantes Estrangeiros 1 0 0
Docentes Estrangeiros 0 0 0
Graduados Estrangeiros 0 0 0

CT31 - Comentário à tabela 31

Verifica-se a participação de uma estuante estrangeira nos cursos de mestrado, sendo também de realçar que alguns docentes estrangeiros continuam a participar em iniciativas de algumas das UC, não sendo, no entanto, possível incluir esta informação nos dados recolhidos.

PARTE FINAL - CONCLUSÕES E PROPOSTAS DE MELHORIA

A análise global de toda a informação contida neste relatório permite compreender que a ESE/IPS continua a trabalhar na promoção do sucesso académico e os resultados são bastante positivos. Continua a verificar-se a existência de um número considerável de estudantes bolseiros e de estudantes trabalhadores a quem é necessário dedicar uma atenção especial ao longo do seu percursos académico. Um aspeto a melhorar prende-se com a internacionalização bem como com a mobilidade dos estudantes. De referir que no próximo ano letivo irá funcionar um semestre internacional, prevendo-se que o número de estudantes incoming aumente.