This Page is not available in English  

Saltar para: Menu Principal, Conteúdo, Opções, Login.

A Ajuda Contextual não se encontra disponível  
home
Início > Álbum Fotográfico > Edifício da ESE
Menu Principal
Autenticação





Esqueceu a sua senha de acesso?
Mapa da ESE Setúbal
Mapa interactivo do campus. Clique num determinado edifício.

Edifício da Escola Superior de Educação de Setúbal

O edifício da Escola Superior de Educação de Setúbal foi inaugurado em 29 de Junho de 1993 pelo então Primeiro Ministro Professor Doutor Aníbal Cavaco Silva.

Em 1993 é atribuído o Grande Prémio Nacional de Arquitectura a Álvaro Siza Vieira pelo projecto da ESE.


Foto: Fernando Pinho

Ficha Técnica

Arquitectura:

Álvaro Siza Vieira

Coordenadores:

José Paulo dos Santos, Jorge Nuno Monteiro, João Pedro Xavier

Engenharia:
Projectista

GOP – Gabinete de Organização de Projectos, Lda (Porto)

Coordenadores:

João Araújo Sobreira, João Maria Sobreira, Inês Sobreira, Sousa Guedes, Matos Campos, Humberto Vieira

Arquitectura Paisagista:

João Gomes da Silva (coord.), João Sousa Mateus, Inês Norton de Matos

Empreiteiro:

António Pestana Cristiano

Fiscalização:

Prazeres Ferreira
STA – Segadães Tavares Associados, Lda

Data:

1986-1994





Grande Prémio Nacional de Arquitectura

Escola Superior de Educação de Setúbal: Grande Prémio Nacional de Arquitectura: (atribuído a) Álvaro Siza.”Jornal Arquitectos”. Lisboa Nº 129 (1993), p.24-27

 

RELATÓRIO FINAL

1993

As reuniões do Júri realizaram-se nos dias 15 de Outubro, 22 de Outubro, 27 de Outubro, 3 de Novembro e 5 de Novembro de 1993,com as seguintes presenças:
Profº Arqº Formosinho Sanchez, Presidente do Júri, (nomeado pelo Conselho Directivo Nacional da Associação dos Arquitectos Portugueses),
Arqº Nuno Mateus (membro efectivo, nomeado pelo Conselho Directivo Regional do Norte da Associação dos Arquitectos Portugueses),
Arqº Carlos Castanheira (membro efectivo, nomeado pelo Conselho Directivo Regional do Norte da Associação dos Arquitectos Portugueses),
Arqº José Bernardo Távora (membro suplente, nomeado pelo Conselho Directivo Regional do Norte da Associação dos Arquitectos Portugueses),
Arqº Michel Toussaint (membro efectivo, nomeado pelo Conselho Directivo Regional do Norte da Associação dos Arquitectos Portugueses),
Arqº José Sommer Ribeiro (membro efectivo, nomeado pela Fundação Calouste Gulbenkian),
Prof. Arqº Reaes Pinto (membro efectivo, nomeado pela Universidade Lusíada),
Arqº José Aguiar (membro suplente, nomeado pela Universidade Lusíada),
Arqª Ilda Freitas Seabra (membro efectivo, nomeado pela Escola Superior Artística do Porto),
Arqº José Manuel Pedreirinho (membro suplente, nomeado pela Escola Superior Artística do Porto),
Arqº José António Bandeirinha (membro efectivo, nomeado pela Universidade de Coimbra),
O Prof. Arqº Fernando Távora embora membro efectivo, nomeado pela Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto, não esteve presente em nenhuma reunião.
Nos termos do Regulamento do Júri na sua última reunião, relizada a 05 de Novembro de 1993,deliberou os seguintes prémios:

GRANDE PRÉMIO NACIONAL DE ARQUITECTURA
ESCOLA SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DE SETÚBAL
ÁLVARO SIZA VEIRA

A esta obra, candidata ao abrigo donº3.3.,alinea b) do Regulamento, foi atribuído o Grande Prémio por unanimidade de votos de Júri, com os seguintes fundamentos:
1. riqueza da concepção orgânica e estrutural em termos de espaço arquitectónico, clareza dos circuitos internos e distribuição dos diferentes sectores do edifício e do uso da luz na conformação e poética da arquitectura, de forte mas delicada presença de volumetria, quer na relação entre os espaços exteriores/interiores quer na sua implantação e articulação com o sítio;
2. a personalidade arquitectónica, pedagógica e cultural do seu autor que, numa vida intensa dedicada à Arquitectura, sempre com o recurso a linguagens arquitectónicas de extrema simplicidade formal, historicamente característica da nossa arquitectura continental e insular, tem prestigiado a sua profissão em todos os locais para que tem sido chamado a intervir quer no país quer no estrangeiro.

A experiência de que dispõe relativamente a este tipo de escola mostra a necessidade de uma aproximação ao programa que, sendo rigorosa, permite uma grande flexibilidade no uso e articulação dos espaços. Daí que se exija um sistema distributivo muito simples e uma estrutura modulada que facilite a eventual alteração de desenvolvimento de certas zonas ou a criação de outras.

Duas alas de construção de dois pisos enquadram o percurso de acesso ao átrio do edifício, implantado segundo um eixo perpendicular. Este amplo espaço transversal constitui o núcleo central de onde partem as galerias de distribuição e de onde se acede às zonas de maior superfície (Cantina, CDI,CRE). Anfiteatro, Sala de Música e Ginásio estão adoçados ao alçado NW da construção e são acessíveis a partir da respectiva galeria longitudinal.
Este complexo, esquematicamente um “H”, termina a SW numa longa plataforma ligeiramente elevada em relação aos terrenos agrícolas adjacentes e igualmente acessível a partir do caminho existente a SW e a regularizar.
Outras áreas do programa (garagem e serviços, habitação de hóspedes) constituem pavilhões separados do edifício principal.

Especial atenção foi prestada à articulação dos problemas da economia da construção e de economia de manutenção.
Em linhas gerais é estratégia do projecto a adopção de um sistema modulado ortogonal que garanta a simplicidade, economia e sistematicidade do detalhe.

Opções
Página gerada em: 2017-12-12 às 00:36:43 Última actualização: 2008-06-05