This Page in English  

Saltar para: Menu Principal, Conteúdo, Opções, Login.

Ajuda Contextual  
Escola Superior de Tecnologia de Setúbal Secretaria Académica - informações
Você está em: Início > Cursos > Disciplinas > EACI21114
Menu Principal
Autenticação





Esqueceu a sua senha de acesso?
Mapa da ESTSetúbal
Edifício ESTS Bloco A Edifício ESTS Bloco B Edifício ESTS Bloco C Edifício ESTS Bloco D Edifício ESTS Bloco E Edifício ESTS BlocoF Mapa interactivo do campus. Clique num determinado edifício.

Instrumentação I

Código: EACI21114    Sigla: I1
Áreas Científicas: Instrumentação e Medida

Ocorrência: 2009/2010 - 1S

Secção: Instrumentação e Medida

Cursos

Sigla Nº de Alunos Plano de Estudos Anos Curriculares Créditos Horas Contacto Horas Totais
EACI 27 Plano de Estudos Alternativo 6 ECTS 75 172
Plano de Estudos _ Bolonha 2006 6 ECTS 75 172

Docência - Horas

Teórico-Práticas: 3
Laboratórios: 2

Tipo Docente Turmas Horas
Teórico-Práticas Totais 1 3,00
Dias Pereira   3,00
Laboratórios Totais 2 4,00
Carlos Banha   4,00

Docência - Responsabilidades

DocenteResponsabilidade
José Miguel Costa Dias PereiraResponsável

Língua de Ensino

Português

Objectivos

Fazer com que os alunos do 2º ano da Licenciatura em Engenharia de Automação Controlo e Instrumentação da EST Setúbal aprendam os princípios fundamentais da Instrumentação de Medida e iniciem o estudo detalhado de alguns dos sensores mais correntes.

Programa

1. Introdução à Instrumentação.
Conceitos de medição, grandezas, unidades e erros. Sistema Internacional de Unidades. Normas, simbologia e diagrama de fluxo.
2. Posição, velocidade e deformação.
Conceito de posição, sistemas de coordenadas. Unidades. Sensores de posição: Potenciómetro, transdutor indutivo, LVDT e resolver, transdutor capacitivo e LVDC, transdutor óptico e encoder. Transdutor por efeito de Hall. Sensores de ultra-sons, de microondas e com laser. O sistema GPS.
Conceito de velocidade, linear e angular. Unidades. Gerador taquimétrico e taquímetro digital. Medição de velocidades de fluidos: anemómetro de conchas e de fio quente, tubo de Pitot.
Conceitos de tensão mecânica e de deformação. Lei de Hooke e módulo de elasticidade. Extensómetros. Princípio de funcionamento e constituição. Coeficiente de Poisson e sensibilidade. Pontes de Wheatstone para uso com extensómetros. Compensação de temperatura.
3. Força, binário, peso, aceleração e massa
Conceitos de aceleração, de força, de peso e de binário. Unidades. Lei de Newton. Medição de força e do peso através da deformação: dinamómetros, células de carga, células em anel e barra encastrada. Medidas volumétricas. Medição de binário. Acelerómetros
Conceito de massa. Unidades. Balanças de alavancas. Medição da massa através do peso: balanças de mola, hidráulicas, pneumáticas, com células de deformação. Balanças radioactivas.
4. Sensores de pressão
Conceito de pressão. Unidades. Barómetros, manómetros, pressóstatos. Pressão absoluta, relativa e diferencial; Pressão estática, dinâmica e total. Manómetro de coluna líquida de Bourdon e de diafragma. Distribuição das tensões mecânicas num diafragma. O diafragma como selante.
Manómetros de fole, de cápsulas e de cilindro. Sensores capacitivos, indutivos, resistivos e piezoeléctricos. Protecção dos sensores de pressão. Sifão, selagem, traçagem. Blocos de válvulas.
Transmissores de pressão. Calibração. Balança de pesos mortos. Especificação e selecção e instalação.
5. Princípios de Instrumentação pneumática:
Conceito, justificação, campos de medida. O sistema tubeira/palheta e o relé pneumático.
A balança de forças, transmissores e controladores pneumáticos. Conversores I/P, P/I e extractores de raiz quadrada. Compressores.

Bibliografia Principal

Dally Riley McConnell;Engineering Measurements, Wiley, 1993. ISBN: 0-471-60004-0
C.Gerthsen Kneser H.Vogel;Física, Fundação Caloustre Gulbenkian, 1993. ISBN: 972-31-0705-8
Gustavo da Silva; Instrumentação Industrial, EST Setúbal, 2004. ISBN: 972-31-0705-8

Les Capteurs en Instrumentation Industrielle Georges Asch, Dunod, 1991 Instrumentacion Industrial Antonio Creus, Marcombo SA, 1981 Sistema Internacional de Unidades (SI) Guilherme de Almeida, Plátano Editora, 1988

Métodos de Ensino

O método de ensino é baseado em exposição da matéria pelo docente, resolução de problemas pelo docente e pelos alunos e discussão de alguns dos tópicos, sendo complementada com trabalhos experimentais. Os trabalhos experimentais são realizados no laboratório de Instrumentação e Medida. Utilizam-se alguns “kits” didácticos, bem como aparelhagem de medida real, igual à utilizada na indústria.

Palavras Chave

Ciências tecnológicas > Tecnologia > Tecnologia da medição

Ciências tecnológicas > Tecnologia > Tecnologia da instrumentação > Sensores


Modo de Avaliação

Avaliação distribuída com exame final

Componentes de Avaliação e Ocupação registadas

Descrição Tipo Tempo (horas) Data de Conclusão
Aulas da disciplina (estimativa)  Aulas  85
  Total: 85

Obtenção de Frequência

A avaliação é efectuada por meio de testes ou de exames (TE) e de trabalhos de laboratório (TL).
Os testes e exames são escritos e individuais. Sempre que necessário, as fórmulas serão fornecidas pelo docente. Não é permitido obter informações por quaisquer outros meios. Os alunos com a média das notas dos testes inferior a 9,5 valores, qualquer dos testes com menos do que 7,5 valores, ou falta a pelo menos um teste, devem efectuar exame escrito. Os restantes alunos podem efectuar exame escrito, sendo a nota TE, neste caso, a maior de entre a média dos testes e a classificação da prova de exame. Para poder haver aprovação a nota final dos testes ou exame escrito deverá ser >= 9,5 valores.
Os trabalhos de laboratório são feitos em grupo, com o número recomendado de dois alunos por grupo. A execução dos trabalhos de laboratório é obrigatória, bem como a apresentação do respectivo relatório. A nota do Laboratório é a média de todos os trabalhos de laboratório. Haverá pelo menos uma aula para a execução de trabalhos em falta ou para eventual melhoria. Para poder haver aprovação a média dos trabalhos de laboratório deverá ser >= 9,5 valores.

Cálculo da Classificação Final

A nota da cadeira será, calculada por:
Nota = 0,7 x TE + 0,3 x TL.
Para haver aprovação na disciplina esta nota deverá ser >=9,5 valores. Notas superiores a 17 valores são defendidas em prova oral pública.

Provas e Trabalhos Especiais

Trabalhos de Laboratório:
0. Familiarização com a instrumentação, no laboratório de Instrumentação
1. Medida de posição com o auxílio de um Potenciómetro
2. Medida de posição com o auxílio de um LVDT
3. Medida de posição angular com o auxílio de um Resolver
4. Ponte de Wheatstone para Instrumentação
5. Cadeia de medida electrónica, 4-20 mA
6. Medida de uma força, com o auxílio de extensómetros
7. Cadeia de medida pneumática, 3-15 PSI
8. Ajuste de um transmissor de pressão
9. Calibração de um transmissor de pressão

Observações

A frequência das aulas de Laboratório é obrigatória.

A frequência das aulas TP é essencial para o acompanhamento e compreensão da disciplina.

Opções
Últimas Notícias
Cerimónia Académica de Entrega das Cartas de Curso 2015
Diplomado do IPS cria App inovadora para Diabéticos
Candidaturas aos Cursos Técnicos Superiores Profissionais (CTeSP)
Diplomado do Politécnico de Setúbal distinguido com o prémio Inovação Jovem Engenheiro
Shell Eco-Marathon: IPS alcança a melhor pontuação portuguesa
Candidaturas para o Estudante Internacional
Mestrados - Candidaturas Abertas I 20 de maio a 15 de setembro'15
Página gerada em: 2015-07-04 às 04:17:09