This Page is not available in English  

Saltar para: Menu Principal, Conteúdo, Opções, Login.

Programa de Mentoria abre 2.ª edição com 151 participantes

Diplomados e atuais estudantes vão trabalhar juntos ao longo do ano

O Programa de Mentoria do Instituto Politécnico de Setúbal (IPS) está de regresso para uma segunda edição marcada pelo crescimento significativo de participantes. Ao todo serão 151 - face aos 81 de 2017 - os diplomados e atuais estudantes que vão trabalhar em equipa ao longo dos próximos meses, num registo de acompanhamento e aconselhamento para preparar a entrada no mercado de trabalho.



Visivelmente satisfeito com a adesão registada, o presidente do IPS, Pedro Dominguinhos, realçou o "forte sentido de pertença" demonstrado por quem, já tendo ingressado no mercado laboral há vários anos, "mantém a vontade de continuar a colaborar com o IPS", ajudando os seus estudantes.

"É assim que se constroem comunidades como esta rede AlumniIPS, que queremos potenciar ainda mais, porque acreditamos que os diplomados são os nossos melhores embaixadores", disse, na sessão oficial de apresentação do passado dia 22, ocasião em que mentores e respetivos mentorandos tiveram oportunidade de conhecer-se e trocar as primeiras impressões. 

Para além do crescimento significativo de participantes, regista-se nesta segunda edição o número de mentores repetentes - 12 ao todo - como prova de uma experiência enriquecedora para ambas as partes. "Parece-me importante salientar o quanto cresci com este programa, que não é só uma mais-valia para os estudantes finalistas, também o é para nós, mentores", confirmou João Calado, gestor de Prevenção e Segurança na Lisnave Estaleiros Navais, que inclusivamente deu ao respetivo mentorando a possibilidade de conhecer o seu ambiente de trabalho e de assistir a algumas reuniões.

Margarida Dias, estudante do mestrado em Ciências Empresariais e mentoranda na primeira edição, salientou, por seu turno, a importância de "contar com a ajuda de um mentor" numa fase da vida em que se dispôs a voltar a estudar depois de algum tempo afastada do meio académico. "Foi muito enriquecedor e tem- me ajudado bastante. Tivemos várias sessões onde foram traçados objetivos e a melhoria de algumas competências, nomeadamente a comunicação em público", partilhou.

Da parte dos estreantes, as expetativas são as melhores. A Andrew Durães, fisioterapeuta coordenador do Departamento de Futsal do Sporting Clube de Portugal, cabe acompanhar ao longo deste ano duas estudantes do curso de Acupuntura. "Aceitei o convite [do Serviço de Promoção da Empregabilidade do IPS] com muito agrado e com a expetativa de poder transmitir um pouco da minha experiência de trabalho, embora ainda curta, contribuindo para o desenvolvimento profissional destas duas mentorandas". O mentor acrescenta que, para tal, serão uma inspiração os educadores clínicos e professores que teve ao longo dos quatro anos da licenciatura em Fisioterapia na Escola Superior de Saúde (ESS/IPS), "verdadeiros mentores que nos guiaram nos estágios curriculares".

Também Rafaela Sousa, finalista da licenciatura em Gestão de Recursos Humanos, aderiu com bastante entusiasmo. "Pensei: por que não? É uma forma de partilhar experiências e de conhecer um pouco do que vai ser o meu contexto laboral, para que não chegue lá de paraquedas". "Muito feliz" por ter ficado a fazer equipa com um mentor da sua área de formação, a estudante espera ter ajuda na melhoria de competências, técnicas mas sobretudo sociais. "Sou ligeiramente tímida e acanhada e isso pode ser uma desvantagem no mercado de trabalho", confessa, antecipando "um bom ano de trabalho".

 

 

27 de novembro/2018

 

 

 

 

Opções
Últimas Notícias
ESE lança Roteiro para uma Educação Antirracista
Mudança de par instituição/curso e reingresso | Até 13 de janeiro
Unidades Curriculares Isoladas | Candidaturas