This Page in English  

Saltar para: Menu Principal, Conteúdo, Opções, Login.

Ajuda Contextual  
home
Início > Cursos > Disciplinas > LGP30002
Menu Principal
Autenticação





Esqueceu a sua senha de acesso?
Mapa da ESE Setúbal
Mapa interactivo do campus. Clique num determinado edifício.

Audição, Visão e Surdez

Informações

    As horas de Tutoria ocorrem em horário a estabelecer com o(s) docente(s) da UC.


Ano letivo: 2021/2022 - 2S

Código: LGP30002    Sigla: AVS
Áreas Científicas: Línguas e Literatura
Secção/Departamento: Ciências da Comunicação e da Linguagem

Cursos

Sigla Nº de Estudantes Plano de Estudos Ano Curricular ECTS Horas Contacto Horas Totais
LGP 20 Plano de Estudos 4,0 48 108,0

Nº de semanas letivas: 15

Responsável

DocenteResponsabilidade
Maria José Duarte FreireResponsável

Carga horária

Horas/semana T TP P PL L TC E OT OT/PL TPL O S
Tipologia de aulas

Corpo docente

Tipo Docente Turmas Horas
Horas de Contacto Totais 1 2,40
Paulo Alexandre Carvalho   3,20

Língua de Ensino

Português

Objetivos de aprendizagem (conhecimentos, aptidões e competências a desenvolver pelos estudantes)

Língua Gestual Portuguesa.

Esta unidade curricular tem por objetivo habilitar os estudantes deste curso com conhecimentos teóricos da relação especial que os seres humanos, em particular as pessoas surdas, estabelecem com a perceção auditiva e com a perceção visual e as suas implicações no quotidiano e nas suas aprendizagens.
Dar a conhecer os trabalhos de investigação mais recentes que abordam as temáticas, Línguas Gestuais, Materiais Lexicográficos, didácticos e pedagógicos bilíngues.
As competências desenvolvidas são aquelas consideradas essenciais à compreensão e utilização de conceitos, bem como às implicações práticas no desempenho da sua profissão, decorrentes dos modos preferenciais de comunicação dos interlocutores surdos e ouvintes com quem trabalham.

Conteúdos programáticos

A audição e a visão, suas particularidades e o efeito que a ausência de um ou dois destes sentidos causa na vida das pessoas, no modo como se adaptam ao ambiente e como o interpretam, sentem e como aprendem. Por outro lado, o modo como a sociedade encara, interage e beneficia ou prejudica as pessoas com surdez parcial ou profunda, baixa visão, cegueira, ou surdocegueira identificando as barreiras e conhecer as formas de possibilitar uma verdadeira acessibilidade a estas populações.
A forma como a investigação, tendo em conta as características da pessoa surda, da comunidade surda e a utilização de uma língua de modalidade visuo-espacial, Língua Gestual, responde às formas como as pessoas surdas aprendem e o desenvolvimento de materiais lexicográficos, didáticos e pedagógicos bilíngues utilizando uma metodologia que tem em conta essas mesmas características específicas explorando a importância que visão tem para a população surda e que a percepção táctil tem para a população surdocega.
Dar a conhecer os trabalhos de investigação mais recentes que abordam as temáticas do curso.


Demonstração da coerência dos conteúdos programáticos com os objetivos de aprendizagem da UC

Aquisição de diferentes perspetivas e conhecimentos que permitirão uma visão alargada e pragmática dos conceitos desenvolvidos ao longo da UC.

Metodologias de ensino

Exposição de temas; distribuição de documentação; pesquisa temática orientada; apresentação de temas relacionados com os conteúdos pós pesquisa dos alunos; discussão e debate.
Haverá ao longo da UC a oportunidade de partilhar diferentes perspetivas, de natureza sociopolítica, desenvolvimental e educativa e pedagógica.

Durante o período de isolamento, devido à pandemia de COVID-19, as aulas serão realizadas à distância (EaD) através do uso de meios eletrónicos e plataformas de comunicação online adequadas aos respetivos conteúdos da UC.

Demonstração da coerência das metodologias de ensino com os objetivos de aprendizagem da UC

A exploração de temas diversos debatidos em aula, bem como a reflexão desenvolvida sobre esses temas, ajudará os discentes a interiorizar informação e dados importantes que lhes permitirão desenvolver a sua visão sobre a comunidade surda, sua língua, cultura e identidade, bem como o seu modo de representação do mundo e da sociedade. A interiorização e compreensão destes conhecimentos, permitirá, ainda, a estes futuros profissionais uma interação mais informada e passível de atingir bons desempenhos e melhores resultados.

Metodologia e provas de avaliação

Assiduidade e participação nas aulas e atividades propostas. - 20%
Relatório crítico sobre os mais recentes estudos, nacionais e internacionais ligados à profissão de intérprete das línguas gestuais e à linguística das línguas gestuais (Lexicografia das línguas gestuais, Materiais didáticos e pedagógicos bilingues, Glossários, Sistemas de notação e transcrição das línguas gestuais e corpus eletrónicos das línguas gestuais) - 40%
Um trabalho escrito individual e apresentado em aula de um artigo científico sobre um dos temas abordados no ponto acima. – 40%

COVID 19 - Consoante a duração do período de isolamento, e da forma como esta afetar a metodologia de avaliação da UC, serão propostas formas alternativas de avaliação, de acordo com as características da unidade curricular.

Bibliografia

AHLGREN, I. e HYLTENSTAM, K. (eds.) (1994). Bilingualism in Deaf Education, Hamburg, Signum Verl.
ALMEIDA, M. J. (2007). A criança surda e o desenvolvimento da literacia. Tese Mestrado Universidade de Aveiro/Escola Superior de Educação de Setúbal. Portugal.
ALVES, M. H. (1999). “Ser ou não ser Surdo… como ser Cidadão?”, Palestra na Acção de Sensibilização “Solidariedade e a Integração na Comunidade Surda”
BISPO, M., COUTO, A., CLARA, M.C. e CLARA, L. (2006). O Gesto e a Palavra I – Antologia de Textos sobre a Surdez, Lisboa, Caminho
BISPO, M.; COUTO, A.; CLARA, M.; CLARA, L. (eds.) (2009). O Gesto e a Palavra 2. Editorial Caminho. Lisboa, Portugal
CARVALHO, P. (2007). Breve história dos Surdos no mundo e em Portugal. Surd’Universo. Lisboa. Portugal.
Coelho, O. (Coord.) (2005) Perscrutar e Escutar a Surdez, S.M. Feira, Afrontamento
Declaração de Salamanca e enquadramento da acção na área das necessidades educativas especiais, (1994)
DELGADO-MARTINS, M.R. (1997). “Como aprendem as crianças surdas a ler e a escrever”, NOESIS, Outubro/Dezembro 1997
Education Rights for Deaf Children da Federação Mundial de Surdos, em wfdeaf.org/pdf/policy_child_ed.pdf
ERTING, C. J. (1994). The Deaf Way: perspectives from the International Conference on Deaf Culture, Washington: Gallaudet University
GROSJEAN, F. (1999). “O direito da Criança Surda de Crescer Bilingue”, Universidade de Neuchâtel, Suiça
Guia Europeu da Comunidade Surda (1997). Versão portuguesa, Bruxelas: EUD
JOKINEN, M. (1999). “Alguns pontos de vista sobre a educação dos surdos nos países nórdicos” in SKLIAR, C. (Org), Atualidade da Educação Bilingüe para Surdos, Vol. 1, Porto Alegre: Editora Mediação
JOKINEN, M. (2006). Os utilizadores da Língua Gestual e a Comunidade Surda. Em: Bispo, M; Couto, A.; Clara, M.; Clara, L. (2006). O Gesto e a Palavra I. Editorial Caminho, Lisboa, Portugal
LABORIT, E. (2000): O Grito da Gaivota, Lisboa, Edit. Caminho
LADD, P. (2003). Understanding Deaf culture: In Search of Deafhood . Multilingual Matters Ltd. Clevedon
LANE, H. (1989). When the Mind Hears – A History of the Deaf, New York, Vintage Books
LANE, H. (1993). The Mask of Benevolence – Disabling the Deaf Community, New York, Vintage Books
LANE, H. (1997). A Máscara da Benevolência – A Comunidade Surda Amordaçada, Lisboa, Instituto Piaget
LANE, H., R. HOFFMEISTER e B. BAHAN (1996). A Journey into the DEAF-WORLD, San Diego, Dawn Sign Press
MAHSHIE, S. N. (1997). “A First Language: Whose Choice Is It” in http://clerccenter.gallaudet.edu/Products/Sharing-Ideas/afirst/smahshie.html
MINDESS, A. (1999). Reading Between the Signs – Intercultural Communication for Sign Language Interpreters, Yarmouth, Maine – USA: Intercultural Press, Inc.
STOKOE, W. (Ed) (1980). Sign and Culture – A Reader for Students of American Sign Language. Silver Spring, Maryland, Linstock Press Inc.
STOKOE, W. (2001). “Deafness, Cognition, and Language” in CLARK, M.D., MARSCHARK, M. e
SVARTHOLM, K. (1999). “Bilinguismo dos Surdos” in SKLIAR, C. (Org) (1999): Atualidade da Educação Bilingüe para Surdos, Vol. 2, Porto Alegre, Editora Mediação

Opções
Últimas Notícias
Ato público de discussão de Relatório de Dissertação/Projeto/Estágio
Aula Aberta - Projeto GI4SADO
Exposição Bibliográfica | Centenário de José Saramago
Seminário Carteira de Competências | Partilha de testemunhos
Página gerada em: 2022-12-07 às 03:04:21 Última actualização: 2010-07-19