This Page is not available in English  

Saltar para: Menu Principal, Conteúdo, Opções, Login.

A Ajuda Contextual não se encontra disponível  
home
Início > Investigação & Desenvolvimento > Língua e Comunicação
Menu Principal
Autenticação





Esqueceu a sua senha de acesso?
Mapa da ESE Setúbal
Mapa interactivo do campus. Clique num determinado edifício.

Projecto interinstitucional "Língua e Comunicação"

Escola Superior de Educação de Setúbal (IPS) e Instituto Superior Técnico (UTL)

Contextualização

Uma das vertentes singulares da Didáctica do Português é a que se designa “Português para fins específicos”, querendo dizer, com esta enunciação, fins académicos, técnicos ou profissionais. Uma das suas características é a exigência de se estabelecer o quadro das necessidades linguísticas do(s) aprendente(s). Assim, as necessidades de aprendizagem têm de ser detectadas, clarificadas, hierarquizadas, antes de se estabelecer um programa, o qual, ainda assim, terá de ser continuamente avaliado e adequado à evolução dos aprendentes.

Estas finalidades consubstanciam os programas que se vão construindo nos diversos âmbitos e estão na base dos princípios norteadores da concepção e implementação do trabalho em torno da formação em Língua Portuguesa dos estudantes do Instituto Superior Técnico (IST), cuja organização é assumida pelo Departamento de Línguas da Escola Superior de Educação de Setúbal (ESE) e constituem a substância do projecto interinstitucional que esta instituição estabelece com aquele instituto, desde o ano lectivo 2003- 2004.

Historial do Projecto

A equipa responsável da ESE foi inicialmente constituída pelos Professores José Victor Adragão e Fernanda Botelho que assumiram a responsabilidade institucional de o conceber, organizar e coordenar, elaborando e assegurando a formação e acompanhamento pedagógico dos monitores a quem tem sido entregue a sua leccionação e avaliando os vários programas que se foram implementando.

Inicialmente, este projecto destinou-se a melhorar a competência em Língua Portuguesa dos estudantes do 1º ano dos cursos leccionados no Departamento de Química - Licenciaturas em Engenharia Química, em Engenharia Biológica e em Química e radicava nas dificuldades surgidas por ocasião da redacção dos relatórios dos seus trabalhos e na sua defesa oral.

Em ordem a organizar uma resposta consistente, concebeu-se um projecto de investigação, assumido pela ESE, que foi aplicado, a título experimental e com carácter facultativo, a uma população de 101 estudantes deste Departamento (91% do universo total). Decorreu no 2º semestre do ano lectivo de 2003-04.

A avaliação do trabalho desenvolvido, a consciência reforçada das dificuldades sentidas pelos alunos do IST no domínio da Língua Portuguesa, bem como o sucesso conseguido nesta fase justificaram a continuidade do trabalho iniciado.

Estas razões levaram, de novo, o Conselho Pedagógico (CP) do IST à reedição e alargamento deste módulo de Língua Portuguesa a outros cursos. Ajustaram-se conteúdos e procedimentos, de acordo com as avaliações realizadas e de molde a melhorar a prestação pedagógica.

Nos anos seguintes, a experiência alargou-se a vários cursos. Considerou-se igualmente importante que o programa mantivesse como meta a consecução dos seguintes objectivos:

  • De âmbito académico: capacidade de se exprimir fluentemente, com vocabulário diversificado, planeando o que se quer dizer e escrever e dominando técnicas comunicativas, tais como clarificar ideias, demonstrar, tirar conclusões, organizar e sintetizar informação.
  • De âmbito pré-profissional: capacidade de planear actividades variadas, apresentar propostas e projectos, dar informações, apresentar ideias e argumentar.

A importância de continuar a investir em Língua Portuguesa, de alargar a outros alunos não só do 1º ano, como outros anos do IST, foi salientada tanto por estudantes, como pelos docentes envolvidos nestes cursos. O trabalho de interacção com os monitores, com os professores do IST e, indirectamente, com os estudantes envolvidos revelou-se particularmente importante na medida em que, desde cedo, se detectaram especificidades em cada curso que obrigaram a ajustamentos sucessivos dos programas, dos materiais pedagógicos e até da própria metodologia de ensino.

Na decorrência da avaliação permanente deste projecto e de acordo com o interesse demonstrado pelos responsáveis dos respectivos cursos, o Departamento de Línguas da ESE de Setúbal interveio nos seguintes cursos:

  • Engenharia Química;
  • Engenharia Biológica;
  • Licenciatura em Química;
  • Engenharia Mecânica;
  • Engenharia de Materiais;
  • Arquitectura;
  • Engenharia Biomédica;
  • Engenharia Física Nuclear;
  • Engenharia Informática e Computadores;
  • Engenharia Electrotécnica e de Computadores
  • Engenharia de Redes de Comunicação e Informática;
  • Engenharia e Gestão Industrial;
  • Engenharia do Território;
  • Engenharia Naval;
  • Engenharia de Minas e Georrecursos.

O trabalho organizou-se, tendo por base duas ofertas de programa, uma correspondente aos 1º e 2º anos dos cursos e outra para os alunos mais avançados, tendo como meta a consecução dos objectivos anteriormente definidos e reconhecidos como prioritários.

A leccionação teve lugar não só no campus da Alameda mas também no Tagus Parque. Foram desenvolvidos dois tipos de intervenção em Língua Portuguesa, visando consolidar os conhecimentos e as competências discursivas dos estudantes, em ordem a promover uma melhoria da sua competência comunicativa (oral e escrita), não só nas suas prestações em situações de avaliação, como no exercício futuro da profissão.

Salientando o que no início dissemos sobre a peculiaridade do Português para fins específicos, isto é, a partir de um módulo experimental e cuja testagem apontava para a sua generalização, defrontamo-nos, em permanência, com uma situação de análise, clarificação e adequação do programa à especificidade dos profissionais a formar, caso a caso.

As alterações estruturais decorrentes da aplicação da Declaração de Bolonha aos cursos do IST originaram alguns ajustamentos da nossa intervenção, designadamente a reformulação dos programas e horários de funcionamento das aulas.

O balanço que fazemos do trabalho realizado desde o início deste projecto, bem como o feedback que temos recolhido até à presente data, são francamente positivos e fundamentam a continuidade e desenvolvimento da nossa intervenção junto dos alunos do IST.

No presente ano lectivo, o projecto de formação em Língua Portuguesa engloba os seguintes cursos:

  • Engenharia Informática e Computadores;
  • Engenharia Electrotécnica e de Computadores;
  • Engenharia de Redes de Comunicação e Informática;
  • Engenharia de Minas e Georrecursos;
  • Engenharia de Materiais;
  • Engenharia Mecânica.

 

Fernanda Botelho
Maria José Almeida

Novembro de 2008

Últimas Notícias
Conferência: A importância de brincar
"Sem Filtro" | CTeSP em Produção Audiovisual
Página gerada em: 2017-12-13 às 01:27:42 Última actualização: 2008-11-20