This Page is not available in English  

Saltar para: Menu Principal, Conteúdo, Opções, Login.

Ajuda Contextual  
home
Início > Notícias > Exposição - Alda Guerreiro e o Ensino Popular no Litoral Alentejano
Menu Principal
Autenticação





Esqueceu a sua senha de acesso?
Mapa da ESE Setúbal
Mapa interactivo do campus. Clique num determinado edifício.

Exposição - Alda Guerreiro e o Ensino Popular no Litoral Alentejano

Alda Guerreiro e o Ensino Popular no Litoral Alentejano

Refª.: 06/2009
17 de Março de 2009


Integrada nas comemorações que visam assinalar o centenário da República no Distrito de Setúbal, a Escola Superior de Educação de Setúbal (ESE/IPS) apresenta a Exposição Temática "Alda Guerreiro e o Ensino Popular no Litoral Alentejano" patente nas suas instalações no Campus do IPS de 16 a 27 de Março.

Cedida pelo Centro de Actividades Pedagógicas Alda Guerreiro e pela Associação para o Desenvolvimento Educativo e Cultural do Litoral Alentejano, esta exposição é composta por 9 painéis .

Alda Guerreiro, mulher, republicana, propagandista do ensino popular, poetisa desenvolveu intensa actividade nas páginas da imprensa local desde os tempos da Monarquia e viveu de modo intenso a importante experiência da Escola Liberal de Santiago do Cacém, que funcionou entre 1910 e 1914, ao mesmo tempo que desde 1909 vinha mantendo em sua própria casa uma "Escola Livre".

Porém, a realidade do ensino popular no Alentejo Litoral era mais vasta e diversificada. Algumas associações de classe de trabalhadores rurais e pequenos grupos anarquistas dispunham de escolas próprias, como o Grupo Luz e Liberdade, do Cercal do Alentejo, dirigido por um alfaiate, cujo ideário pedagógico se baseava na ideia de que as principais fontes de saber e de aprendizagem estão na sociedade e na vida. Nesta escola de trabalhadores e gente simples havia a convicção de que a coacção devia ser substituída pelo interesse, pelo prazer e pela intensidade das actividades desenvolvidas.

Para todos eles , na diversidade das suas convicções e dos seus projectos sociais, a educação era um combate para tirar os homens das trevas e os guindar á luz do conhecimento e da liberdade.

A obra educativa da república foi imperfeita, revelou enormes dificuldades, semeou desilusões e críticas violentas, mas implantou de modo duradouro a ideia-semente de um ensino laico, gratuito e universal.



A exposição pode ser visitada até ao dia 27 de Março, nos dias úteis das 8.30h às 19.30h.

Entrada Livre.




Opções
Últimas Notícias
PerfilLocal - Projeto editorial do curso de Comunicação Social
Revista MEDI@ÇÕES | Open Call
Página gerada em: 2020-08-04 às 21:08:56